Skip to content

HISTORIAL DE PRESIDENTES

José Manuel Constantino
José Vicente Moura
Vasco Lynce
José Vicente Moura
Fernando Lima Bello
Daniel Sales Grade
Gaudêncio Costa
Alexandre Correia Leal
Francisco Nobre Guedes
José Pontes
António Prestes Salgueiro
Alfredo Ferreira dos Anjos
Jaime Mauperrin Santos
2013 - Presente
1997-2013
1993-1997
1990-1993
1981-1990
1977-1981
1973-1977
1969-1973
1957-1968
1923-1957
1919-1923
1913-1919
1912-1913

COMITÉ OLÍMPICO DE PORTUGAL

O Comité Olímpico de Portugal é uma associação civil, sem fins lucrativos, com personalidade jurídica e natureza desportiva, constituída de harmonia com as normas estabelecidas pelo Comité Olímpico Internacional.

Tem por missão desenvolver, promover e proteger o Movimento Olímpico em Portugal, em conformidade com a Carta Olímpica, sendo parte constitutiva do Movimento Olímpico e reconhecido pelo Comité Olímpico Internacional.

No exercício dessa missão o Comité Olímpico de Portugal tem por função essencial promover os princípios e valores fundamentais do Olimpismo, em particular nos domínios do desporto e da educação, garantindo a observância da Carta Olímpica.

Breve Cronologia

As ligações de Portugal ao Movimento Olímpico remontam a 1906 com a nomeação de um português, António Lancastre, para o Comité Olímpico Internacional e continuaram através da Sociedade Promotora de Educação Física Nacional, criada em 1909.

A 30 de abril de 1912 foi criado o Comité Olímpico Português com o objetivo de Portugal participar pela primeira vez nos Jogos Olímpicos de 1912, em Estocolmo.
O primeiro presidente do Comité Olímpico Português foi Jayme Mauperrin dos Santos que faleceu em 1913. Seguiu-se como presidente Alfredo Ferreira dos Anjos, Conde de Fontalva.

Em 1919 o Comité é oficialmente reconhecido pelo Governo Português, por decreto assinado pelo Ministro da Instrução Pública e em 1925, através da Lei nº 1 728 de 5/01/25 é reconhecida a personalidade jurídica do Comité Olímpico Português.

A 20 de junho de 1978 a Presidência do Conselho de Ministros, através do Gabinete do Primeiro-Ministro, reconheceu o Comité Olímpico Português como de Utilidade Publica.

A 15 de outubro de 1984, por Despacho n.º 49-A/84, publicado em Diário da República n.º 274, de 26/11/84, II Série, foi atribuída a Medalha de Mérito Desportivo ao Comité Olímpico Português, pelo Secretário de Estado dos Desportos, Júlio Francisco Miranda Calha.

Por Despacho n.º 167/ME/91, de 26 de setembro de 1991, publicado na II Série do Diário da República n.º 244, de 23/10/91, foi atribuída a Medalha de Honra ao Mérito Desportivo ao Comité Olímpico Português pelo Ministro da Educação, Roberto Artur da Luz Carneiro.

Na Assembleia Plenária de 4 de junho de 1992, foi decidido alterar, por unanimidade, a designação para Comité Olímpico de Portugal.

Em novembro de 1999 o Presidente do COP recebeu em nome do Comité Olímpico de Portugal o Colar de Honra ao Mérito Desportivo que lhe foi conferido por Fernando Gomes, Ministro-adjunto do 1.º Ministro.

A 23 de junho de 2014 foi atribuído o grau Doutor Honoris Causa ao Comité Olímpico de Portugal pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD). Com este importante grau honorífico a UTAD pretendeu homenagear o COP “pelos relevantes serviços prestados ao desporto português, pela disseminação dos valores relativos aos ideais olímpicos na sociedade portuguesa e pelos significativos resultados desportivos de todos os atletas olímpicos, com especial destaque aos medalhados e aos quatro campeões Carlos Lopes (Los Angeles, 1984); Rosa Mota (Seul, 1988); Fernanda Ribeiro (Atlanta, 1996) e Nelson Évora (Pequim, 2008)”.

A 27 de maio de 2015, o Comité Olímpico de Portugal foi designado Membro-Honorário da Ordem do Infante D. Henrique pela Presidência da República Portuguesa, através de Alvará (extrato) n.º 22/2015, publicado em Diário da República, 2.ª série, N.º 137, de 16 de julho de 2015.

Links Úteis

SAIBA MAIS SOBRE O MOVIMENTO OLÍMPICO