Angélica André e Rafael Gil integram a Equipa Portugal que vai participar nos Jogos Mundiais de praia Doha 2019, em Natação de águas abertas 5km, depois da experiência bem sucedida nos Jogos do Mediterrâneo de praia, nos quais conquistaram a medalha de ouro na prova de equipas mistas, juntamente com Tiago Campos.

Angélica André traçou uma primeira meta para a capital do Qatar: “É ficar entre as dez primeiras. No Mundial apuravam-se 19 e eu fui 12.ª, agora quero fazer melhor, é esse o objetivo.”

O nível da competição nos Jogos Mundiais de praia é ainda desconhecido, mas o Mundial de Natação de águas abertas pode funcionar como referencial. “As concorrentes deverão ser as que estiveram no Campeonato do Mundo” – admite a nadadora portuguesa -, “mas não sei ao certo, porque a decisão depende de cada Comité Olímpico Nacional. Nos Jogos do Mediterrâneo de praia também esperávamos muitas participantes e acabaram por competir poucas.”

Em Patras, nos Jogos do Mediterrâneo de praia, Angélica André foi 4.ª classificada na prova feminina e atingiu o lugar mais alto do pódio nas equipas mistas. “Em termos individuais faltou pouco para a medalhas. A prova de equipas foi muito boa, uma experiência incrível, da qual tirei motivação para participar agora nos Jogos Mundiais.”

Competir no Qatar significa encontrar muitas adversidades colocadas pelo clima, extremamente quente, algo que não surpreende a atleta portuguesa, aniversariante a 13 de outubro, dia da prova de Natação de águas abertas. “Eu tenho nadado em Doha e já conheço as condições. Vai depender muito do dia, que será o meu aniversário (25.º). Vamos estar preparados para tudo, seja frio ou calor, com fato ou sem fato.”

Angélica André começa a nadar em Doha 2019 às 7h35 (menos duas horas em Portugal), o que pode funcionar como uma vantagem: “O horário não terá influência. Até é bom ser cedo para não apanharmos calor. Temos acompanhado o Mundial de Atletismo e percebemos que há algumas dificuldades para os atletas. Uma boa hidratação acho que é fundamental para encarar bem a competição.”

Depois dos Jogos Mundiais de praia, os Jogos Olímpicos Tóquio 2020. Angélica André prefere ir por partes. “Primeiro há a etapa da qualificação, é para aí que tenho de apontar primeiro, depois pensarei em Tóquio e aí quero a melhor participação portuguesa.”

Patrocinadores/Parceiros Nacionais