O relatório anual da Agência Mundial Antidopagem (AMA), publicado quarta-feira, 25 de outubro, confirma uma tendência: o número de controlos diminuiu, mas os resultados positivos ou anormais aumentaram.

O documento resume os resultados de todas as amostras analisadas em laboratórios acreditados pela AMA durante 2016 e registados no sistema de gestão e administração antidopagem ADAMS.

Esta é a segunda vez que o relatório da AMA é publicado desde a entrada em vigor, em janeiro de 2015, do novo Código Mundial Antidopagem.

Em resumo, eis as principais conclusões apresentadas pela AMA na entrada do relatório de 2016:

– diminuição de 0,9% no número total de amostras analisadas: 303.369 em 2015 e 300.565 em 2016;

– aumento na quantidade de testes com resultados considerados anormais – representaram 1,26% do número de controlos em 2015 (3.809 em 303.369 testes), tendo o valor subido para 1,60% em 2016 (4.822 em 300.565);

– cerca de 60% dos laboratórios acreditados pela AMA fez mais testes;

– o número de amostras de sangue analisadas (não relacionadas com o Passaporte Biológico do Atleta) está em ascensão, passando de 6,98% em 2015 (21.176 em 303.369) para 7,75% em 2016 (23.298 em 300.565);

– o número de amostras analisadas relacionadas com o Passaporte Biológico do Atleta subiu 13%: de 25.012 em 2015 para 28.173 in 2016.

Em baixo o relatório integral da AMA.

Patrocinadores/Parceiros Nacionais