O Comité Olímpico Internacional (COI) tomou posição pública sobre o Coronavírus, que o Comité Olímpico de Portugal passa a transcrever:

“Face à situação atual do novo Coronavírus 2019 e do cancelamento do primeiro evento de teste de Pequim 2022, que deveria ocorrer em fevereiro, além de outros eventos desportivos, gostaríamos de fazer uma atualização sobre a posição do COI. Contramedidas contra doenças infeciosas constituem parte importante dos planos para sediar jogos e eventos de teste seguros.

O COI está a colaborar com a Organização Mundial de Saúde (OMS), os especialistas em saúde pública do Grupo de Jogos da Comissão Médica e Científica do COI, bem como com as autoridades governamentais e desportivas relevantes, e está a monitorizar cuidadosamente o desenvolvimento desse surto e a aconselhar contramedidas. A declaração da OMS de uma emergência de saúde pública de interesse internacional foi posterior ao esperado, pelo menos em parte devido à robusta resposta das autoridades chinesas.

Embora, nesta fase, o risco real das viagens a Pequim e aos locais de competição dos Jogos Olímpicos de 2022 para a saúde de cada um seja baixo, existe o risco de interrupções significativas nas viagens e, consequentemente, vários eventos e organizações desportivas serem cancelados internacionalmente. Um número crescente de países instituiu medidas de triagem e quarentena para viajantes que chegam aos seus territórios. Os viajantes sem sintomas ou infeção, de países com casos de infeção por Covid-19, normalmente não exigem medidas ou restrições de quarentena segundo as diretrizes da OMS. No entanto, restrições podem ser impostas pelo governo local e autoridades de saúde.

O COI emitiu recomendações aos funcionários e consultores que viajam para qualquer lugar do mundo, de modo a seguirem os conselhos da OMS listados em baixo:

Conselhos da OMS:

Recomenda-se seguir medidas para reduzir o risco geral de transmissão de infeções respiratórias agudas:

• Evite contactar com pessoas que sofrem de infeções respiratórias agudas;
• Lave as mãos com frequência, principalmente após contacto direto com pessoas doentes ou com o seu meio ambiente;
• Evite contacto desprotegido com animais de meio rural ou selvagens;
• Pessoas com sintomas de infeção respiratória aguda devem adotar cuidados quanto à tosse (mantenha distância, cubra a boca quando tosse, espirre para lenços ou roupas descartáveis ​​e lave as mãos).

A OMS não recomenda medidas específicas de saúde, como isolamento, a menos que os viajantes apresentem sintomas sugestivos de doença respiratória aguda durante ou após a viagem, caso em que são incentivados a procurar atendimento médico e informar o médico do seu histórico de viagem.”

Patrocinadores/Parceiros Nacionais