A cidade chinesa de Pequim foi hoje escolhida para ser a sede dos Jogos Olímpicos de inverno de 2022. Pela primeira vez na história do Movimento Olímpico, uma cidade irá acolher as duas edições dos Jogos Olímpicos, depois de em 2008 Pequim ter sido a cidade-sede da edição de verão onde Nélson Évora se sagrou o quarto campeão olímpico português da história.

Pequim e Almaty (Cazaquistão) eram as duas cidades concorrentes, depois de Oslo (Noruega) ter desistido há alguns meses. A decisão foi tomada na 128ª Sessão do Comité Olímpico Internacional, que decorreu em Kuala Lumpur, na Malásia. A votação foi muito equilibrada, com Pequim a ganhar com 44 votos contra 40 de Almaty. Uma decisão que promete alguma discussão devido ao facto de Pequim não ter neve natural para acolher uns Jogos de inverno, pelo que será neve artificial que garantirá as condições para a realização de mais uma edição dos Jogos Olímpicos de inverno.

Na base da escolha de Pequim estiveram os argumentos da candidatura chinesa, que pretende com estes Jogos acelerar o desenvolvimento da região nas áreas do desporto, cultura e turismo, encorajando o interesse nos desportos de inverno numa zona da China onde habitam mais de 300 milhões de pessoas.

Apesar da Agenda 2020 introduzida pelo COI ser posterior à apresentação destas candidaturas, as suas diretrizes que pretendem reduzir os custos da organização dos Jogos Olímpicos já tiveram impacto nas mesmas.  Pequim apresentou diversas das infraestruturas dos Jogos Olímpicos de 2008 como palcos ideais para esta edição de inverno, como é o caso do Estádio Olímpico “Ninho de Pássaro”, que será novamente utilizado, pelo que os custos de organização serão bastante mais reduzidos. A estimativa de investimento ronda o 1,5 mil milhões de dólares em aldeias olímpicas, infraestruturas desportivas e não desportivas.  Um valor que se prevê seja pago pela venda de bilhetes, patrocínios e outras fontes de receitas, existindo uma forte convicção de que o evento dará lucro, para o qual contribuirá certamente o financiamento do COI de 880 milhões de dólares.

 

Lausanne escolhida para os Jogos Olímpicos da Juventude de inverno 2020

Antes da escolha de Pequim, decorreu a votação para a atribuição dos Jogos Olímpicos da Juventude de inverno de 2020. A cidade suíça de Lausanne foi a escolhida, com uma vitória esmagadora sobre a outra concorrente, a cidade romena de Brasov, 71 votos contra 10.

Lausanne é a sede do Comité Olímpico Internacional desde 1915 e é reconhecida como a capital mundial do Olimpismo. Esta será a terceira edição deste evento (10 a 19 de janeiro de 2020), depois da estreia em Innsbruck, na Áustria, em 2012, a que se seguirá a edição de Lillehammer marcada já para o próximo ano nesta cidade da Noruega (de 12 a 21 de fevereiro).

Patrocinadores/Parceiros Nacionais