O Comité Olímpico de Portugal (COP) teve oportunidade de reunir pela última vez com o Comité Organizador dos Jogos Olímpicos, em Tóquio, antes da partida da Missão de Portugal para a grande competição multidesportiva, no próximo verão.

Depois de discutidas as mais recentes alterações realizadas pelo Comité Organizador, nomeadamente no que diz respeito às questões logísticas, desportivas, de acreditação e de protocolo, a delegação do COP, composta pelo Chefe de Missão, Marco Alves, e por Filipe Jesus, teve o privilégio de ser a primeira a realizar uma visita ao Estádio Olímpico acompanhada pelo gestor da instalação.

O Estádio foi uma das instalações desportivas que geraram maior polémica durante todo o processo de implementação, após a atribuição dos Jogos da XXXII Olimpíada. A par do velódromo que seria construído em Tóquio e que acabou por sair dos planos do Comité Organizador e da Governo Metropolitano da Cidade, o Estádio alterou o seu projeto inicial assim que foram avaliados os custos de implementação do projeto da arquiteta Zara Hadid. Recorrendo “à prata da casa”, o arquitecto Kengo Kuma desenvolveu um projeto inspirado na sustentabilidade e nos elementos naturais, muito relacionados com o xintoísmo, destacando-se o recurso ao bambu e a plantas para ornamentar o exterior da infraestrutura, cuja lotação é de 68 000 lugares.

Ao longo dos últimos anos, o Comité Organizador tem apresentado várias dificuldades em garantir o acesso às instalações onde decorrerão os Jogos Olímpicos, uma vez que ainda são detidas pelas respetivas construtoras. Em agosto de 2019, durante o Seminário de Chefes de Missão, as visitas às áreas técnicas e de circulação de Atletas e Treinadores foram muito limitadas, tendo sido demonstrado algum desagrado pela maioria dos 206 Comités Olímpicos Nacionais.

No entanto, em janeiro deste ano, a Aldeia Olímpica foi entregue ao Comité Organizador e a facilidade de acesso alterou-se, tendo sido o COP o quarto Comité a visitar, após este formalismo, o espaço onde ficarão alojados a maioria dos Atletas portugueses durante os Jogos.

O edifício número quatro servirá de residência oficial da Missão de Portugal durante todos os Jogos, com exceção, à data de hoje e entre as modalidades já qualificadas, do Atletismo (Marcha e Maratona, com realização em Sapporo), do Ciclismo de Estrada (Fuji), do Surf (Tsurigasaki) e da Vela (Enoshima), que terão a oportunidade de se juntar à restante equipa assim que terminem as suas competições.

Destaca-se neste edifício a proximidade com o Transport Mall, o Main Dining, a Village Plaza; o facto de ter sido possível garantir o alojamento nos pisos inferiores; e de todos os circuitos de circulação serem cobertos e climatizados. Também os espaços operacionais dedicados à Missão de Portugal, nomeadamente para a instalação do escritório do Comité, do espaço médico, de um lounge para os Elementos da Missão e do espaço de armazém, cumprem com o exigido.

Durante a visita foi ainda possível observar os locais de competição de Ténis, Skate, Ginástica, Natação, Equestre, Remo, Canoagem (Pista e Slalom), Triatlo, Ciclismo de Estrada (local da partida), Badminton e Surf.

Artigos Relacionados

Patrocinadores/Parceiros Nacionais