O recém-eleito Presidente do Comité Olímpico Internacional, Thomas Bach, esteve ontem na Assembleia Geral da ONU, em Nova Iorque, e viu aprovado o pedido de Trégua Olímpica, uma tradição originária do século nono a.C, e que visa garantir proteção e paz a todos os intervenientes dos Jogos Olímpicos de inverno Sochi 2014, previstos para o próximo mês de fevereiro, independentemente da religão, cultura, raça ou orientação sexual.

Na sequência da aprovação desta medida, o alemão Thomas Bach lançou ainda o repto aos países participantes de não boicotarem a participação nos Jogos, uma ameaça que surgiu nas últimas semanas devido à lei que discrimina os homossexuais na Rússia. O COI já garantiu que nenhum dos participantes será afetado por esta lei, graças a um compromisso do Presidente russo, Vladimir Putin.

Estas questões foram debatidas na Assembleia Geral da ONU que teve lugar esta quarta-feira em Nova Iorque, onde o Presidente do COI deu a conhecer a sua visão sobre como desporto e política poderão trabalhar em conjunto para promover a paz e construírem um mundo melhor.

Thomas Bach enfatizou o papel que o desporto desempenha na sociedade, através da promoção do fair play, tolerância e cooperação, bem como do apoio que dá às áreas da saúde e educação.

“Independentemente do local onde o desporto é praticado, as regras são iguais e reconhecidas em todo o mundo. São baseadas no fair play, tolerância e amizade. E por essas regras serem universais, é fundamental que na relação desporto-política, seja claro que o desporto serve sempre para construír pontes de entendimento. Nunca para criar muros. O desporto representa o diálogo e o entendimento, transcendendo todas as diferenças que possam existir. O desporto e o movimento olímpico entendem, melhor do que ninguém, a diversidade de culturas e sociedades, como uma fonte de riqueza. Nunca acusamos ou excluímos ninguém”.

Patrocinadores/Parceiros Nacionais