Fechou-se o ciclo de debate sobre a importância da recuperação e do sono no processo de treino desportivo. A sexta e última sessão desta ronda de webinares promovidos pelo Comité Olímpico de Portugal (COP) através do programa The Olympic Performance, juntou a Direção de Medicina Desportiva do COP para uma perspetiva integrada sobre o tema – na mesa virtual estiveram José Gomes Pereira, Diretor de Medicina Desportiva do COP, Ana Bispo Ramires, Psicóloga do COP e Cláudia Minderico, Nutricionista do COP, com o Diretor Desportivo do COP, Pedro Roque, no papel de moderador.

A sessão teve na abertura o Presidente do Comité Olímpico de Portugal, José Manuel Constantino, que destacou a importância da iniciativa no debate de temas relevantes para os agentes desportivos e agradeceu a toda a equipa, a todos os oradores que partilharam o seu conhecimento e ainda a todos os participantes que ao longo de seis semanas acompanharam as sessões.

Para os três preletores, a sessão de fecho serviu para reforçar uma das mensagens chave que foi ouvida ao longo das várias sessões: uma equipa multidisciplinar permite maximizar os procedimentos utilizados em treino e consequentemente o desempenho do atleta – e a mesma premissa aplica-se à necessidade de recuperação e de controlo do sono.

José Gomes Pereira destacou ainda a necessidade de planear todos os comportamentos do atleta ao longo do dia, porque cada escolha influencia a condição e predisposição para treinar. E deu o exemplo dos centros de treinos e de estágio que oferecem as melhores condições adaptadas às necessidades de cada atleta. Em relação ao sono, o médico relembrou que existem técnicas que podem facilitar o descanso e que estes momentos, tal como o treino físico, também devem ser planeados de acordo com as necessidades individuais de cada atleta.

Ana Bispo Ramires é também uma defensora do trabalho em equipa e acredita que o treino de um atleta dura as 24 horas do dia, e que todos os momentos devem ser pensados para promover o máximo desempenho do atleta. Nessas 24 horas entram naturalmente os momentos de descanso e sono, o que, segundo a psicóloga, também se treina, aliás “tudo na vida são processos de treino”.

Cláudia Minderico relembrou que para além do treino físico é necessário o treino “invisível” para atingir um rendimento de topo dos atletas e nesse processo o envolvimento da família alargada é essencial. A nutricionista deu alguns exemplos de alimentos que podem ainda ajudar no processo de recuperação e sono, enfatizando a necessidade de uma equipa com várias valências para colaborar com os atletas.

Durante seis semanas, nos meses de novembro e dezembro, foram promovidos webinares com vários especialistas na importância da recuperação para o processo de treino. A abrir a temática José Gomes Pereira abordou a perspetiva médico-desportiva. Segui-se a relação entre o sono e a performance desportiva, apresentada por Marco Túlio de Mello, do Comité Olímpico do Brasil. Depois foi a vez da psicóloga do COP, Ana Bispo Ramires, abordar a necessidade do treino de competências psico-emocionais para a otimização no processo de treino desportivo. Novembro terminou com a perspetiva da nutrição para a recuperação no treino desportivo, com a nutricionista Cláudia Minderico. Dezembro recebeu vários profissionais da Federação Portuguesa de Futebol que abordaram os processos de recuperação e monitorização do sono em estágio e em preparação para a competição. O ciclo fechou com a perspetiva integrada da recuperação e sono no treino desportivo, com a Direção de Medicina Desportiva do COP.

Patrocinadores/Parceiros Nacionais