O Comité Olímpico Internacional (COI), a INTERPOL e o Escritório das Nações Unidas para as Drogas e Crime (UNODC) publicou um documento conjunto no qual aborda a atual crise sanitária e as ações exigidas no combate à corrupção no desporto e na prevenção da manipulação de competições.

Colocar a integridade no centro da resposta do desporto à pandemia global da COVID-19 é crucial para garantir que o desporto saia desse desafio o mais forte possível e esteja pronto para desempenhar um papel fundamental na sociedade, consideram as organizações signatárias.

O documento procura garantir uma abordagem proativa e alinha medidas preventivas para o momento em que o desporto possa retomar em pleno. A suspensão temporária de eventos desportivos não elimina necessariamente os problemas de integridade e o reinício das competições exigirá vigilância especial. Proteger a integridade do desporto nesta conjuntura crítica e colocá-lo no centro da “nova normalidade” é investir no seu futuro.

O documento estabelece uma estrutura política e apresenta recomendações adaptadas à situação atual, alinhando as ferramentas e os mecanismos de apoio disponíveis às organizações desportivas e governamentais (principalmente autoridades policiais e judiciais). COI, INTERPOL e UNODC fornecem igualmente orientações sobre como responder imediatamente (por exemplo, evitar diminuir os salários dos mais vulneráveis ​​e gravemente afetados; realizar sessões virtuais de consciencialização), bem como no futuro (por exemplo, garantir que os regulamentos e a legislação estejam em vigor).

A seguir, a versão integral do documento, em inglês.

Prevenção da Corrupção no Desporto

Foto Istock/Sanjen

Artigos Relacionados

Patrocinadores/Parceiros Nacionais