O Presidente do Comité Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, e o Secretário-geral da Interpol, Ronald K. Noble, reuniram-se ontem na sede do COI, em Lausanne, para promover a colaboração na proteção do desporto contra a corrupção, especialmente a manipulação de resultados através de apostas. Esta abordagem vem no seguimento do Memorando de Entendimento assinado entre o COI e a INTERPOL.

A reunião foi focada nos parâmetros de colaboração a serem implementados nos próximos anos. As principais áreas de atuação são a sensibilização dos membros do movimento olímpico para os riscos da manipulação de resultados, a recolha de informações e a realização de investigações e procedimentos de acusação. As autoridades serão treinadas em paralelo com o movimento desportivo uma vez que a manipulação de competições desportivas está muitas vezes ligada a atividades criminosas, tornando assim fundamental a experiencia da INTERPOL na supervisão e realização de investigações, bem como na troca de informações.

“Proteger os atletas limpos de todas as formas de corrupção e manipulação é a nossa prioridade” afirmou Thomas Bach. “O aumento da colaboração com a INTERPOL serve para garantir a integridade do desporto. Estamos muito satisfeitos com a determinação da INTERPOL para em conjunto com o COI proteger os atletas limpos. Juntos continuaremos a apelar a todos os governantes e restantes autoridades policiais a tornarem-se também reguladores.”

“A estreita colaboração entre a INTERPOL e o COI é crucial para combater o crime que ameaça a integridade do desporto. O maior apoio à aplicação da lei por todo o mundo vai ajudar a garantir que os fãs, atletas e oficiais podem desfrutar em segurança dos eventos desportivos internacionais”, disse o Secretário-geral da INTERPOL, Ronald K. Noble.

Patrocinadores/Parceiros Nacionais