Depois de quatro dias a conquistar medalhas na primeira edição dos Jogos Europeus Baku 2015… Portugal conquistou mais uma. Pelo quinto dia consecutivo. A primeira de bronze, depois de quatro de prata e duas de ouro. Júlio Ferreira garantiu a sétima medalha para Portugal na capital do Azerbaijão, ao vencer o combate pelo Bronze no Taekwondo, categoria de -80kg.

Foi um dia repleto de vitórias de Júlio Ferreira. Quatro vitórias para sermos mais exactos. E uma derrota, que o afastou da final. Começou bem cedo, nem eram 6h da manhã em Portugal, com uma vitória clara sobre o espanhol Raul Martinez Garcia por 10-4, que o apurou para os quartos-de-final da competição. A meio da manhã regressou à ação, frente a um dos favoritos, o número 1 do ranking olímpico, o agora moldavo (é de origem britânica e competiu pelo Reino Unido até ter sido excluído dos Jogos de Londes, recusando-se desde então a defender as cores de Sua Majestade) Aaron Cook. Mas o favoritismo do adversário não assustou o atleta do Sporting de Braga. O equilíbrio foi a nota dominante, mas o atleta luso  liderou sempre, apenas permitindo o empate no último minuto do último round. Voltaria a colocar-se em vantagem a poucos segundos do fim, por 7-6, mas no último segundo do combate levou uma penalização que levou para o Ponto de Ouro a decisão sobre o acesso às meias-finais.

Nesse momento decisivo, Júlio Ferreira foi mais forte e com um pontapé somou o ponto de ouro que lhe valeu o apuramento para as meias-finais, estando muito próximo de poder lutar por um lugar no pódio.

Passado o favorito, seguiu-se outra grande dificuldade, um atleta da casa nas meias-finais. Milad Beigi Harchegani havia ganho com larga vantagem os dois anteriores combates e cedo se percebeu porquê. O azeri colocou-se em vantagem e nunca a perdeu. Houve alguma contestação dos portugueses por atribuição de alguns pontos que não foram totalmente claros. No final, o azeri venceu o atleta do clube minhoto por 2-6 e atirava Júlio Ferreira para o combate pelo bronze.

Restava ao atleta português esperar pelas repescagens para saber quem lhe calharia em sorte no combate decisivo. Foi o gigante Richard Odermann, com quase dois metros de altura, o seu adversário. Mais uma vez Júlio dominou o combate, liderando o score no final dos dois primeiros rounds. Porém no último, o norueguês conseguiu virar para 5-4 o resultado, mas Júlio voltou a pontuar no último minuto, atirando a decisão para o Ponto de Ouro.

E mais uma vez Júlio Ferreira impôs-se no momento da verdade. Um forte pontapé ao fim de um minuto do 4º round deu a vitória ao atleta português. Estava garantida a medalha de bronze. A primeira desta cor, a sétima para Portugal em Baku. O Taekwondo nacional fechava da melhor maneira a sua participação nestes Jogos Europeus. Depois do ouro de Rui Bragança, Júlio Ferreira garantia o pódio!

Depois de receber a medalha, Júlio Ferreira revelava que ainda não estava em si. “Sinto-me muito bem com o que fiz, apesar de não ter perfeita noção do que conquistei. Consegui recuperar bem da derrota na meia-final. Queria a medalha e assim consigo ir mais pesado para casa”, gracejou.

Sobre a meia-final, onde teve um pavilhão cheio a apoiar o adversário azeri, Júlio Ferreira desvalorizou o ambiente adverso. “Como outros atletas, quando entro no combate alheio-me do que se passa ao redor. Ouvimos quando as pessoas aplaudem os pontos e pouco mais. Foi muito bom ter um pavilhão cheio e tão ativo. Não só neste combate como noutros, em que apoiavam sempre um dos atletas. Poderia ter sido diferente contra outro atleta, é certo, mas o que determinou o resultado não foi o apoio ao meu adversário”.

Com esta medalha, Portugal fecha o 6º dia de Jogos Europeus no 13º lugar do medalheiro, com 2 medalhas de ouro, 4 de prata e 1 de bronze, num total de sete medalhas, estando atrás da Itália (12º) e à frente da França (14º). O Taekwondo nacional contribuiu com duas medalhas para este pecúlio.

 

Ténis de mesa fica de fora nos quartos

Terminou hoje a participação lusa na modalidade de Ténis de Mesa, com Marcos Freitas e Tiago Apolónia a serem eliminados nos quartos-de-final da prova de Singulares Masculinos.

Marcos Freitas, quarto cabeça de série, perdeu por 1-4 com o britânico Paul Drinkhall, com os parciais de 6-11, 6-11, 11,3, 6-11 e 9-11, enquanto Tiago Apolónia foi derrotado pelo terceiro cabeça de série, Vladimir Samsonov, da Bielorússia, por 0-4, com os parciais de 9-11, 6-11, 3-11 e 7-11.

Os dois mesatenistas terminam assim a sua participação nestes Jogos Europeus, onde fizeram história ao alcançarem o Ouro na prova de Equipas Masculinas, juntamente com João Geraldo.

 

Rafael Reis foi 19º no contrarrelógio

O português Rafael Reis iniciou hoje a participação nos Jogos Europeus, em Baku, Azerbaijão, terminando o contrarrelógio individual no 19.º lugar, a 4m42s do vencedor, o bielorrusso Vasil Kiryienka.

Numa prova de 51,6 quilómetros, disputado sob vento forte,  o pódio foi integralmente composto por corredores com mais de 30 anos. Rafael Reis, na sua primeira corrida internacional na categoria de elite, não tendo ainda completado 23 anos, foi o 19.º classificado. Ficou dentro da primeira metade da classificação e foi o segundo melhor entre os ciclistas da mesma idade ou mais jovens, apenas batido pelo irlandês Ryan Mullen, oitavo da geral.

Daniela Reis é a próxima corredora portuguesa a competir em Baku. Vai correr no próximo sábado, na prova de fundo de elite feminina, que terá 120,7 quilómetros e começa às 8h00 (hora de Portugal Continental).

Às 6h00 de domingo (hora de Portugal Continental) será dado o tiro de partida para a prova de fundo masculina, na qual a Seleção Nacional/Liberty Seguros estará representada por Edgar Pinto, Fábio Silvestre, Filipe Cardoso, José Gonçalves e Rafael Reis. O traçado não é muito exigente, mas a prova terá longos 215,8 quilómetros e algumas partes muito técnicas.

 

Artigos Relacionados

Morrer na praia
27.06.2015
Lisboa2Baku
10.04.2015
Taekwondo
1.02.2014
Ténis de Mesa
1.02.2014
Ciclismo
1.02.2014

Patrocinadores/Parceiros Nacionais