Sílvia Saiote e Beatriz Martins venceram este sábado a Medalha de Ouro na especialidade de Trampolim Sincronizado, na final da Taça do Mundo de Ginástica de Trampolins que decorreu em Loulé.

As ginastas lusas tinham sido apuradas para a final no 2º lugar da tabela classificativa com 79.900 pontos, ficando apenas atrás da dupla Russa composta por Anna Kornetskaya e Irina Kundius.

Na final as ginastas lusas foram as sétimas a prestar provas, das 8 duplas apuradas para a final, e realizaram um exercício sem qualquer falha que lhes valeu 44.900 pontos.

Sílvia Saiote e Beatriz Martins entraram em prova confiantes num bom resultado: “ Numa final tudo pode acontecer. Entrámos confiantes mas sabíamos que não dependia só de nós. O nível dos exercícios estava muito elevado e esta é a nossa 1ª Taça do Mundo juntas. A verdade é que quando queremos muito uma coisa e ainda temos o apoio do público, tudo fica mais fácil. A motivação do público estava igual à da nossa Seleção e assim vale tudo a pena!” afirmou Sílvia Saiote.

Já Beatriz Martins ainda estava incrédula quando recebeu a Medalha de Ouro: “ Demorei uns bons segundos até perceber que tínhamos conseguido o Ouro. Tinha esperança em alcançar o pódio mas o nível de dificuldade estava muito elevado! Estamos radiantes. Agora é manter e melhorar até ao Campeonato do Mundo, tanto a nível Individual como também no Trampolim Sincronizado!”.

No Trampolim Individual Masculino, Portugal teve em prova 3 ginastas: Tiago Lopes, Ricardo Santos e Pedro Ferreira. Tiago Lopes terminou a sua prestação com 98.215 pontos, na 27ª posição. Já Ricardo Santos totalizou 101.395 pontos, terminando no 19º lugar da tabela classificativa.

O ginasta Pedro Ferreira, na sua estreia enquanto sénior, brilhou com 2 exercícios sem qualquer falha, totalizando 104.030 pontos, ficando na 12ª posição entre os 53 participantes, tendo sido a 2ª reserva para a final desta especialidade.

“Foi perfeito! Não estava à espera de conseguir este lugar logo na minha 1ª prova de sénior. Fica sempre uma vontade querer mais, fiquei muito perto da final, mas não posso ficar triste. Estão cá os melhores do mundo e estão a apostar muito na dificuldade dos exercícios. Vim agora dos Jogos Olímpicos da Juventude e depois dessa experiência o meu objetivo é sem duvido os Jogos Rio 2016. Sei que é muito difícil mas também sei que é possível e é para isso que vou trabalhar.” afirmou Pedro Ferreira.

 

CRÉDITOS FOTOS: Carlos Alberto Matos/FGP
TEXTO: Federação de Ginástica de Portugal

Patrocinadores/Parceiros Nacionais