Portugal apurou hoje três mesatenistas para os Jogos Olímpicos Rio 2016. A primeira a consegui-lo foi a mesatenista luso-chinesa Fu Yu. No derradeiro encontro do seu Mapa, Fu Yu venceu a romena Daniela Dodean Monteiro, mulher do mesatenista luso João Pedro Monteiro, duas vezes olímpico, por 4-1 (11-3,10-12,10-12,8-11,3-11). Antes já tinha levado de vencidas Natalia Partyka da Polónia e Ivana Tubikanec, da Croácia, ambas por 4-0.

Alguns minutos mais tarde, Marcos Freitas e Tiago Apolónia carimbavam igualmente o apuramento olímpico, apesar de ser praticamente certo que caso falhassem nesse torneio, teriam sempre o lugar garantido no Rio 2016 graças às posições que ocupam no ranking. Os dois melhores mesatenistas do ranking ITTF da história da modalidade no nosso país venceram os seus Mapas. Marcos Freitas derrotou o turco Ahmet Li por 4-1 (13-11,8-11,13-11,13-11,11-9) na final. Tiago Apolónia venceu o inglês Liam Pitchford por 4-3 (2-11,12-10,11-8,8-11,11-9,9-11,11-8) no derradeiro encontro do Mapa E.

Nos masculinos, graças ao ranking que ocupa no top mundial, a seleção masculina lusa irá marcar presença no Rio, apesar de neste momento ainda não poder ser contabilizado o terceiro elemento até à data do fecho dos rankings da ITTF. Como já anunciado pela Federação Portuguesa de Ténis de Mesa, a equipa masculina será completada por João Monteiro, que somará a sua terceira participação olímpica.

Nos femininos, Shao Jieni também ainda poderá sonhar com o apuramento, através do ranking da ITTF, precisando de somar pontos nos torneios internacionais que faltam até à data de fecho do ranking.

 

A era de Ouro do Ténis de Mesa luso

Portugal vive uma época dourada no Ténis de Mesa, com conquistas várias a nível internacional. Conheça um pouco melhor os três atletas que hoje asseguraram a presença no Rio 2016:

Fu Yu nasceu em Hebei, uma província chinesa, em 1978. Começou a jogar ténis de mesa com apenas sete anos, ainda na China, onde a modalidade é desporto nacional. Deixou o seu país em 1998 para competir em Espanha. O percurso em Portugal começou em 2001, quando foi contratada pelo GD Estreito, um clube madeirense. Vive desde então em Portugal, onde casou e criou uma família. Com mais de 20 anos de carreira, a mesatenista naturalizou-se em agosto de 2013 e tornou-se na primeira mesatenista feminina portuguesa a conquistar uma medalha numa prova internacional, neste caso nos Europeus de Ténis de Mesa realizados em Scwechat, na Áustria.

Em 2015 representou Portugal na primeira edição dos Jogos Europeus, disputados em Baku, Azerbaijão, e no Campeonato da Europa onde conquistou a medalha de bronze, a sua segunda medalha em Campeonatos da Europa. É a melhor mesatenista portuguesa da história do ranking ITTF.

Marcos Freitas é o mesatenista português com o melhor ranking ITTF de sempre e único a entrar no top-10 mundial. O madeirense iniciou a sua carreira no Ténis de Mesa aos seis anos, por influência do seu pai e após ter experimentado o Judo. Com um grande currículo, Marcos Freitas é o único mesatenista português a ter conquistado um título Europeu Individual, tendo neste momento já dois títulos, o último dos quais uma Taça da Europa em 2014. Além dos títulos individuais, Marcos Freitas foi também por cinco vezes Campeão da Europa em Pares e Pares Mistos. Nos Jogos Olímpicos de Londres 2012 alcançou o mesmo 17.º lugar e juntamente com João Pedro Monteiro e Tiago Apolónia conquistou um 5º lugar por equipas, em Londres 2012. O mesmo lugar alcançado no Mundial de Equipas, no Japão, já em 2014, que foi o melhor resultado de sempre de Portugal nesta competição.

Ainda em 2014, fez história no Ténis de Mesa Nacional, ao sagrar-se Campeão da Europa de Equipas, juntamente com Tiago Apolónia, João Pedro Monteiro, João Geraldo e Diogo Chen, no Europeu disputado em Lisboa no final de setembro, pondo fim à hegemonia alemã que durava há seis anos.

Um título histórico da Seleção Nacional Masculina que, já em 2015, na Taça do Mundo disputada no Dubai, nos primeiros dias do ano, confirmou o seu grande momento de forma, ao conquistar o bronze na prova que reuniu as 12 melhores seleções do ranking da ITTF. Em fevereiro de 2015 em Baku, Azerbaijão, conquistou a medalha de prata no TOP 16 Europeu. Conquistou também em 2015 a medalha de ouro (pares) e bronze (singulares) no Open do Qatar.

Regressou a Baku em junho de 2015 para conquistar a medalha de ouro na prova de equipas na primeira edição dos Jogos Europeus, juntamente com Tiago Apolónia e João Geraldes.

O ano 2015 não terminaria sem mais um resultado de relevo em outubro, com o melhor mesatenista português de sempre no ranking da ITTF a conquistar a primeira medalha de prata da sua carreira e do ténis de mesa português na prova de singulares masculinos do Campeonato da Europa.

Deixou Portugal há alguns anos, estando atualmente a competir pelo Pontoise, onde já em 2014 conquistou a Liga dos Campeões, a primeira vez para o seu clube, mas a segunda na carreira do madeirense.

Tiago Apolónia, nasceu em Lisboa a 28 de Julho de 1986. Iniciou-se no Ténis de Mesa aos seis anos de idade, com a camisola do Clube de Futebol Estrela da Amadora, após ter acompanhado sempre os treinos do seu irmão João Apolónia. Desde cedo demonstrou grandes capacidades para a prática da modalidade.

No seu currículo conta com 29 títulos de Campeão Nacional e venceu 30 Torneios Individuais, nos títulos internacionais destaque para o título de Campeão da Europa e Vice-Campeão do Mundo de Pares (Júnior). Em Londres 2012 juntamente com João Pedro Monteiro e Marcos Freitas conquistou um 5º lugar por equipas,  mesmo lugar alcançado no Mundial de Equipas, no Japão, já em 2014, que foi o melhor resultado de sempre de Portugal nesta competição.

Em 2014 conquistou a medalha de Bronze no Open da Alemanha, naquele que foi o melhor resultado individual que alguma vez alcançou em termos internacionais dado o prestígio da competição, a que se junta a medalha de bronze na competição de Singulares do Open da Bélgica que decorreu na cidade de De Haan. Para além disso, conquistou a ETTU CUP, a segunda prova europeia de clubes mais importante, ao serviço do seu clube, Saarbrucken.

Ainda em 2014, fez história no Ténis de Mesa Nacional, ao sagrar-se Campeão da Europa de Equipas, juntamente com Marcos Freitas, João Pedro Monteiro, João Geraldo e Diogo Chen, no Europeu disputado em Lisboa no final de setembro, pondo fim à hegemonia alemã que durava há seis anos.

Graças a este resultado atingiu o mais alto lugar do ranking ITTF da sua carreira, o 13º lugar.

Um título histórico da Seleção Nacional Masculina que, já em 2015, na Taça do Mundo disputada no Dubai, nos primeiros dias do ano, confirmou o seu grande momento de forma, ao conquistar o bronze na prova que reuniu as 12 melhores seleções do ranking da ITTF.

Em junho de 2015 na primeira edição dos Jogos Europeus, realizados em Baku, Azerbaijão, conquistou a medalha de ouro na prova de equipas, juntamente com Marcos Freitas e João Geraldes.

Seguiu-se a medalha de bronze em singulares masculinos no Campeonato da Europa e um mês depois em dupla com João Pedro Monteiro alcançou a medalha de prata na variante de pares do GAC Group 2015 ITTF World Tour Grand Finals, competição que decorreu no Pavilhão Multiusos de Odivelas.

 

 

À beira das seis dezenas de apurados

Com este apuramento, Portugal aumenta para 59 o número de atletas apurados para o maior evento multidesportivo do mundo, os Jogos Olímpicos, que terão lugar entre 5 e 21 de agosto, no Rio de Janeiro, no Brasil.

A Missão Portuguesa tem já garantidas as seguintes vagas:

  • CANOAGEM | 6 vagas: K4 1000m Masculino, C1 200m Masculino e K1 500m Feminino; devido ao apuramento no K4 Masculino, Portugal poderá participar nas provas de K1 e K2 masculino;
  • CICLISMO | 4 vagas: Prova de estrada e contrarrelógio;
  • EQUESTRE | 1 vaga: Luciana Diniz (Salto de Obstáculos);
  • FUTEBOL | 18 vagas: Prova masculina;
  • NATAÇÃO | 2 vagas: Nos 200m Estilos, conquistadas por Diogo Carvalho e Alexis Santos;
  • TAEKWONDO | 1 vaga: Rui Bragança (-58kg);
  • TÉNIS DE MESA | 3 vagas: Fu Yu (singulares femininos), Marcos Freitas (singulares masculinos) e Tiago Apolónia (singulares masculinos);
  • TIRO |1 vaga: Irá competir em duas provas: PAC 10m e Pistola 50m;
  • VELA | 5 vagas: Classes 49er (Jorge Lima e José Costa), Laser (Gustavo Lima), Laser Radial (Sara Carmo) e RS:X (João Rodrigues).

 

A estas acrescem para já 18 no ATLETISMO. Estas vagas terão de ser ratificadas durante o ano de 2016 de acordo com os demais critérios de qualificação definidos por esta federação. Os atletas com mínimos neste momento são: Ana Cabecinha (20km Marcha Feminina), Daniela Cardoso (20km Marcha Feminina), Dulce Félix (Maratona Feminina e 10.000m Femininos), Filomena Costa (Maratona Feminina), Inês Henriques (20km Marcha Feminina), Irina Rodrigues (Lançamento do Disco), João Vieira (20km e 50km Marcha Masculina), Marta Onofre (Salto com Vara), Miguel Carvalho (50km Marcha Masculina), Nélson Évora (Triplo Salto Masculino), Patrícia Mamona (Triplo Salto Feminino), Pedro Isidro (50km Marcha Masculina), Rui Pedro Silva (Maratona Masculina), Sara Moreira (10.000m Femininos e Maratona Feminina), Sérgio Vieira (20km Marcha Masculina), Susana Costa (Triplo Salto Feminino), Susana Feitor (20km Marcha Feminina), Vanessa Fernandes (Maratona Feminina), Vera Santos (20km Marcha Feminina), Tsanko Arnaudov (Lançamento do Peso Masculino) e Yazaldes Nascimento (100m Masculinos).

São 21 atletas com mínimos mas como existem cinco atletas na prova de 20km Marcha Feminina e outras quatro atletas na Maratona Feminino, apenas contabilizamos três vagas em cada disciplina, o que reduz o número de apurados no Atletismo para 18 em virtude do limite de três atletas por país nas provas em questão. De referir que na Marcha Feminina, tendo em conta os critérios de seleção definidos pela Federação Portuguesa de Atletismo, das cinco atletas com mínimos, já é garantida a presença de Ana Cabecinha e Inês Henriques, faltando apenas definir quem ocupará a terceira e última vaga, entre Daniela Cardoso, Susana Feitor e Vera Santos

Artigos Relacionados

Fu Yu
25.04.2014
Ténis de Mesa
1.02.2014