João Rodrigues é o escolhido do Chefe de Missão, José Garcia, para ser o porta-estandarte de Portugal na Cerimónia de Abertura dos Jogos Olímpicos Rio 2016. O atleta com mais participações olímpicas de sempre de Portugal, que irá somar a sua sétima no Rio de Janeiro, vê assim reconhecido um currículo invejável, repleto de títulos internacionais. O madeirense é uma referência do desporto nacional, pelos resultados de excelência e pela longevidade da sua carreira.

O velejador irá assim transportar a bandeira nacional na Cerimónia de Abertura, que decorrerá no mítico Estádio do Maracanã, no próximo dia 5 de agosto. João Rodrigues entrará em competição na Marina da Glória no dia 8 de agosto.

Com 44 anos, João Rodrigues já anunciou que esta será a sua última prova olímpica, acabando a sua longa carreira desportiva após os Jogos do Rio 2016, pondo ponto final num currículo impressionante de mais de 50 medalhas em provas internacionais, entre eles títulos de campeão do Mundo e da Europa. O madeirense foi ainda galardoado em 2013 pelo COP com o prémio Medalha de Mérito, pelos seus serviços prestados ao Olimpismo.

José Garcia, Chefe da Missão Rio 2016, e antigo colega da equipa olímpica de João Rodrigues em Barcelona 92 e Atlanta 96, justificou a sua escolha: “Para a nomeação deste atleta de eleição foi considerado o impressionante currículo desportivo deste atleta que se iniciou na prática da Vela aos 9 anos e ao longo da sua carreira, somou dezenas de títulos nacionais, medalhas em inúmeras competições internacionais, campeonatos europeus e do mundo. É um exemplo porque conciliou a exigente carreira desportiva com o seu percurso académico, tendo concluindo a licenciatura em engenharia mecânica, a isso soma-se uma postura cívica exemplar. O João é o atleta português com mais participações olímpicas e dos poucos atletas no mundo que com a participação nos JO Rio 2016 completará a presença em sete edições. Habituamo-nos a admirar o atleta, mas também a pessoa e o português extremamente orgulhoso de o ser. Quando lhe comuniquei que havia sido o escolhido, disse-me: “estou todo a tremer e profundamente honrado”. Esta é uma honra que considero inteiramente merecida a este verdadeiro embaixador do olimpismo. Parabéns João!”

Também João Rodrigues já reagiu à nomeação. “Foi com enorme alegria que recebi, do Chefe de Missão aos Jogos Olímpicos do Rio 2016, o convite para ser o Porta-Estandarte da Missão Portuguesa, naquele que é o maior evento desportivo do planeta. Agradeço profundamente a honra que me é concedida, honra esta extensível à modalidade da vela e à Região Autónoma da Madeira, onde nasci e cresci. Mas é também uma responsabilidade. Ao endereçar-me o convite, certamente o Chefe de Missão entendeu que o meu percurso, de alguma forma, faria com que os portugueses se identificassem com esta Equipa. Esse parece-me ser a principal missão do Porta Estandarte, à qual espero poder estar à altura.”, referiu o madeirense.

O velejador afirmou ainda que “ao longo dos últimos 28 anos, vivi intensamente seis edições dos Jogos Olímpicos. Integrei as diversas Equipas Olímpicas. Desta feita, creio que foi feito um enorme trabalho, no sentido da criação de um espírito de equipa. Porque “juntos, somos mais fortes”. Mérito do Comité Olímpico de Portugal e do Chefe de Missão, meu companheiro nos Jogos Olímpicos de Barcelona 92 e Atlanta 96. Desejo aos meus companheiros, que integram a Equipa Olímpica Portuguesa que estará presente nos Jogos Olímpicos do Rio, um evento pleno de significado para nós, mas também para todos os portugueses, as maiores felicidades!”

Em termos históricos, João Rodrigues será o quinto atleta da Vela a assumir as funções de Porta-Estandarte na Cerimónia de Abertura de uns Jogos Olímpicos, sucedendo a Joaquim Fiúza (Londres 1948), Bernardo Mendes Almeida (Melbourne 1956), Mário Quina (Roma 1960) e José M.Quina (México 1968). Desde que João Rodrigues se estreou nos Jogos, foram estes os porta-estandartes na abertura dos Jogos Olímpicos: Filipa Cavalleri (Judo – Barcelona 1992), Fernanda Ribeiro (Atletismo – Atlanta 1996), Miguel Maia (Voleibol de Praia – Sydney 2000), Nuno Delgado (Judo – Atenas 2004), Nélson Évora (Atletismo – Pequim 2008) e Telma Monteiro (Judo – Londres 2012).