Portugal vai, pela primeira vez, estar representado nos Jogos Olímpicos por dois corredores de BTT. No final do ciclo de dois anos de apuramento, Portugal cotou-se como o 11.º melhor país do Mundo, assegurando duas vagas para o Rio de Janeiro.

O ranking hoje revelado pela União Ciclista Internacional coloca Portugal na 11.ª posição, com 3711 pontos, resultantes da soma da pontuação dos três betetistas lusos mais bem colocados: David Rosa, Tiago Ferreira e Mário Costa.

Esta será a segunda vez que Portugal consegue qualificar-se para a prova de cross country dos Jogos Olímpicos. A estreia foi, há quatro anos, em Londres, com um único corredor, David Rosa.

“A qualificação de dois atletas representa uma evolução muito significativa do BTT português nos últimos dois anos. É fruto de um bom planeamento, de uma boa geração de ciclistas e de uma comunidade muito ativa. Todo o BTT português está de parabéns”, frisa o presidente da Federação Portuguesa de Ciclismo, Delmino Pereira.

O selecionador nacional de BTT, Pedro Vigário, destaca “o trabalho árduo, muito difícil. Os atletas revelaram uma motivação muito grande para uma tarefa, o apuramento, que poderia ser histórica. O resultado final significa que fizemos as escolhas certas, as melhores apostas nos corredores e nas competições em que participámos”.

David Rosa, Mário Costa, Ricardo Marinheiro e Tiago Ferreira são os quatro ciclistas pré-convocados, de entre os quais serão escolhidos os dois representantes de Portugal. A convocatória acontecerá no próximo mês.

A prova de cross country olímpico do Rio de Janeiro vai realizar-se no dia 21 de agosto.

Ontem o Remo não conseguiu apurar-se para o Rio 2016, depois da dupla Pedro Fraga/Nuno Mendes ter ficado no 5º lugar da final da última prova de qualificação olímpica, quando apenas dois se apuravam para o Rio 2016. Desta forma, das treze modalidades que estiveram em Londres 2012, apenas o Remo vai falhar a repetição da presença olímpica no Rio de Janeiro.

O número de vagas conseguidas pela Missão Portuguesa sobe assim para um total de 74, em treze modalidades, aos quais se poderá juntar Francisca Laia, Canoagem, cujo apuramento está pendente de oficialização pela Federação Internacional da modalidade. A saber:

• BADMINTON | 2 vagas: Pedro Martins (Singulares Masculinos) e Telma Santos (Singulares Femininos);

• CANOAGEM | 6 vagas: K4 1000m Masculino (Fernando Pimenta), C1 200m Masculino e K1 500m Feminino (Teresa Portela); devido ao apuramento no K4 Masculino, Portugal poderá participar nas provas de K1 e K2 masculino;

• CICLISMO | 6 vagas: 4 na Prova de estrada e contrarrelógio; 2 em BTT;

• EQUESTRE | 1 vaga: Luciana Diniz (Salto de Obstáculos);

• FUTEBOL | 18 vagas: Prova Masculina;

• GINÁSTICA | 4 vagas: Filipa Martins (Artística Feminina), Gustavo Simões (Artística Masculina); Ana Rente (Trampolins Feminino); Diogo Abreu (Trampolins Masculino);

• NATAÇÃO | 2 vagas: Nos 200m Estilos, conquistadas por Diogo Carvalho e Alexis Santos;

• TAEKWONDO | 1 vaga: Rui Bragança (-58kg);

• TÉNIS DE MESA | 5 vagas: Fu Yu (Singulares Femininos) e Shao Jieni (Singulares Femininos), Marcos Freitas (Singulares Masculinos), Tiago Apolónia (Singulares Masculinos) e atleta a definir para prova de Equipas Masculinas;

• TIRO | 1 vaga: Irá competir em duas provas: PAC 10m e Pistola 50m;

• TRIATLO | 3 vagas: João Pereira, João Silva e Miguel Arraiolos (Prova Masculina)

• VELA | 5 vagas: Classes 49er (Jorge Lima e José Costa), Laser (Gustavo Lima), Laser Radial (Sara Carmo) e RS:X (João Rodrigues).

 

A estas acrescem para já 20 no ATLETISMO. Estas vagas terão de ser ratificadas durante o ano de 2016 de acordo com os demais critérios de qualificação definidos por esta federação. Os atletas com mínimos neste momento são: Ana Cabecinha (20km Marcha Feminina), Daniela Cardoso (20km Marcha Feminina), Dulce Félix (Maratona Feminina e 10.000m Femininos), Filomena Costa (Maratona Feminina), Inês Henriques (20km Marcha Feminina), Irina Rodrigues (Lançamento do Disco), João Vieira (20km e 50km Marcha Masculina), Jessica Augusto (Maratona Feminina), Marta Onofre (Salto com Vara), Miguel Carvalho (50km Marcha Masculina), Nélson Évora (Triplo Salto Masculino), Patrícia Mamona (Triplo Salto Feminino), Pedro Isidro (50km Marcha Masculina), Ricardo Ribas (Maratona Masculina), Rui Pedro Silva (Maratona Masculina), Salomé Rocha (10.000m Femininos), Sara Moreira (10.000m Femininos e Maratona Feminina), Sérgio Vieira (20km Marcha Masculina), Susana Costa (Triplo Salto Feminino), Susana Feitor (20km Marcha Feminina), Vanessa Fernandes (Maratona Feminina), Vera Santos (20km Marcha Feminina), Tsanko Arnaudov (Lançamento do Peso Masculino) e Yazaldes Nascimento (100m Masculinos).

São 24 atletas com mínimos mas como existem cinco atletas na prova de 20km Marcha Feminina e outras cinco atletas na Maratona Feminino, apenas contabilizamos três vagas em cada disciplina, o que reduz o número de apurados no Atletismo para 20 em virtude do limite de três atletas por país nas provas em questão. De referir que na Marcha Feminina, tendo em conta os critérios de seleção definidos pela Federação Portuguesa de Atletismo, das cinco atletas com mínimos, já é garantida a presença de Ana Cabecinha e Inês Henriques. Pelos critérios da Federação Portuguesa de Atletismo deverá ser a atleta Daniela Cardoso a ocupar a terceira e última vaga da marcha feminina, faltando a confirmação oficial da FPA.

Artigos Relacionados

Ciclismo
1.02.2014