A Celebração Olímpica 2018 distinguiu esta quinta-feira Sameiro Araújo com a Ordem Olímpica Nacional; Inês Henriques e Fernando Pimenta com a Medalha de Excelência Desportiva; Fernando Costa Matos com a Medalha de Mérito; José Ramalho com o Prémio Ética Desportiva; Patrícia Sampaio e Alexandre Montez com o Prémio Juventude; e a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa com o Prémio Prestígio COP.

O momento foi de celebração do desporto português, com a reunião da família olímpica, exaltada pelo ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, na distinção dos atletas portugueses participantes nas missões organizadas pelo Comité Olímpico de Portugal (COP), em PyeongChang, Tarragona e Buenos Aires: “Queria congratular-me pela forma como se bateram e como representaram Portugal de forma tão singular.”

O governante português destacou o envolvimento do COP em cinco missões, durante o ano de 2019, e sublinhou que as políticas de apoio ao desporto são para manter: “Temos uma enorme confiança no olimpismo português. Acreditamos que este investimento compensa, vale a pena para afirmar a marca de Portugal internacionalmente”, disse.

No seu discurso, José Manuel Constantino, presidente do COP, deixou uma mensagem sobre a abrangência do trabalho desenvolvido. “O Movimento Olímpico, como o assumimos desde a primeira hora, está muito para além da aritmética dos resultados desportivos, pois tem a responsabilidade de contribuir para um mundo melhor através da educação para o desporto, praticado de acordo com o Olimpismo e os seus valores.” Para além do desempenho desportivo, há na agenda do COP mais temas estruturantes. “Não abdicamos deste compromisso e com o apoio de uma rede alargada de parceiros nacionais e internacionais, perseveramos em desenvolver e entregar projetos e iniciativas concretas no âmbito da educação olímpica ou da prevenção da manipulação de resultados”, disse José Manuel Constantino. “Fazemo-lo com a noção clara que temos de cuidar do futuro comum do desporto, tão vulnerável a ameaças que mancham inapelavelmente a credibilidade e os valores que muitos se orgulham de professar mas nem todos de os pôr em prática.”

João Rodrigues, presidente da Comissão de Atletas Olímpicos, escolheu a Celebração Olímpica para lembrar que os valores olímpicos – Excelência, Amizade e Respeito – “não são exclusivos dos atletas.” E perguntou: “Não deverá a excelência nortear-nos a todos?”, deixando igualmente uma mensagem em relação ao futuro. “Faltam dois anos para os Jogos Olímpicos de Tóquio, são muitos os desafios que se colocam e muitas tempestades se avizinham, mas, ao olhar para estes atletas, só podemos confiar que levaremos a nau a bom porto.”

 

Prémios e Galardões do COP 2018

Ordem Olímpica Nacional – SAMEIRO ARAÚJO

Sameiro Araújo é hoje uma figura de referência, através da sua carreira e do seu exemplo liderante, para a afirmação e promoção do papel da mulher no desporto esbatendo assimetrias na igualdade de género nos mais diversos domínios de participação desportiva.

O nome de Sameiro Araújo é indissociável de diversas das mais importantes conquistas do atletismo e do desporto português, em campeonatos da Europa e do Mundo, bem como da carreira de atletas olímpicas de referência, entre as quais Manuela Machado, Albertina Machado, Conceição Ferreira, Dulce Félix ou Jéssica Augusto.

A Ordem Olímpica Nacional destina-se a distinguir personalidades de elevado nível e público reconhecimento, por relevantes serviços prestados ao Movimento Olímpico.

 

Medalha de Excelência Desportiva – INÊS HENRIQUES e FERNANDO PIMENTA 

A Medalha de Excelência Desportiva distingue o melhor atleta masculino e a melhor atleta feminina do ano.

Atleta Feminina

No ano de 2018 Inês Henriques alcançou a Medalha de Ouro nos 50km de Marcha Atlética no Campeonato da Europa de Atletismo em Berlim.

Atleta Masculino

Em 2018 Fernando Pimenta obteve as seguintes classificações de maior destaque:

    • Medalha de Ouro – K1 1000m no Campeonato do Mundo – Montemor 2018
    • Medalha de Ouro – K1 1000m no Campeonato da Europa – Belgrado 2018 

 

 

Medalha de Mérito – FERNANDO COSTA MATOS

A Medalha de Mérito destina-se a galardoar desportistas que tenham prestado serviços relevantes ao Desporto Nacional ou ao Olimpismo.

Fernando Costa Matos tem assumido, ao longo de mais 50 anos ligados ao Judo, um papel cimeiro no desenvolvimento da modalidade em Portugal enquanto atleta, técnico, dirigente e árbitro internacional, com uma carreira única onde pontificam a participação nos Jogos Olímpicos de Tóquio 1964 como porta-estandarte nas cerimónias de abertura e encerramento, a presidência da Federação Portuguesa de Judo, a arbitragem de Campeonatos da Europa e de torneios internacionais enquanto árbitro da União Europeia de Judo, sendo membro fundador das associações de treinadores e árbitros de Judo de Portugal. 

 

Prémio Ética Desportiva – JOSÉ RAMALHO

O Prémio Ética Desportiva destina-se a premiar ações relevantes em prol dos princípios e valores da ética no desporto, suscetíveis de constituir exemplos virtuosos e pedagógicos e pode ser atribuído a atletas, dirigentes, treinadores e outros agentes desportivos ou profissões relacionadas com o desporto.

José Ramalho tem no seu currículo desportivo seis títulos de campeão da Europa de Canoagem, em maratona K1, conquistados nos anos de 2011, 2014, 2015, 2016, 2017 e 2018. Na mesma categoria, ganhou uma medalha de prata e três de bronze, no Campeonato do Mundo, em 2012, 2009, 2014 e 2016.

No ano de 2018, José Ramalho apresentou-se no Mundial realizado em Portugal (Prado) com legitimas ambições a competir pelo seu primeiro título de campeão, figurando entre os favoritos à vitória.

No decorrer da competição, o atleta português foi confrontado com a contingência de a sua embarcação ter partido a proa ao embater noutra, o que o fez perder distância para o grupo da frente. José Ramalho percorreu 3,6km (uma volta completa ao circuito) com a embarcação a meter água.

Na segunda volta, na entrada da portagem, o técnico nacional tentou resolver o problema com fita-cola, solução que se revelou infrutífera e levou José Ramalho a perder ainda mais terreno para os competidores que lideravam a prova.

Foi na segunda portagem – já na terceira volta – que o canoísta português fez nova paragem para reparação da embarcação, desta vez por um técnico especializado, o que o fez perder mais de um minuto, deixando-o a 600 metros da liderança.

Demonstrando respeito pelos adversários e pelo imenso público que o apoiava, José Ramalho manteve-se em prova e foi nestas condições que empreendeu uma recuperação, com tempos por volta de menos 40 segundos do que os registados pelo grupo da frente, tendo conseguido a recolagem.

Na penúltima portagem, porém, voltou a perder o grupo da frente. Mas, apesar dos evidentes sinais de cansaço, na última volta José Ramalho voltou a reunir todas as suas forças e, a faltarem 100 metros para finalizar os 30 km de prova, estava novamente no grupo da frente, posicionado no 2.º lugar à passagem da portagem.

No sprint final, completamente esgotado e apesar da sua enorme generosidade, José Ramalho classificou-se na sexta posição a apenas alguns segundos das medalhas.

A conduta de José Ramalho figura como um testemunho vivo dos valores e princípios do desporto, através da superação competitiva e respeito pela competição, pelos adversários e pelo público presente, num exemplo de atitude que encerra um apurado sentido ético em relação à forma de estar na vida e competir na sua modalidade de eleição.

 

Prémio Juventude – PATRÍCIA SAMPAIO e ALEXANDRE MONTEZ 

O Prémio Juventude destina-se a premiar o atleta nacional masculino e a atleta nacional feminina, de escalões jovens, que mais se tenham distinguido no ano anterior pela obtenção de resultados de excelência em competições internacionais ao mais alto nível desportivo, sendo relevante o mérito do percurso académico.

Patrícia Sampaio foi Campeã da Europa de Juniores e 3.ª classificada no Campeonato do Mundo de Juniores, na modalidade de judo.

Alexandre Montez foi vice-campeão olímpico da juventude e medalha de ouro nos Jogos Olímpicos da Juventude Buenos Aires 2018 em equipas mistas de Triatlo.

 

Prémio Prestígio COP – SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE LISBOA

A Santa Casa da Misericórdia de Lisboa assume, desde a sua fundação em 1498, como missão a melhoria do bem-estar das pessoas, prioritariamente dos mais desprotegidos, abrangendo as prestações de ação social, saúde, educação e ensino, cultura e promoção da qualidade de vida, de acordo com a tradição cristã e obras de misericórdia do seu compromisso originário e da sua secular atuação em prol da comunidade, bem como a promoção, apoio e realização de atividades que visem a inovação, a qualidade e a segurança na prestação de serviços e, ainda, o desenvolvimento de iniciativas no âmbito da economia social.

O fomento ao desporto figura como um elemento importante do apoio às boas causas desta instituição centenária, quer através da redistribuição das receitas dos jogos sociais do Estado, quer no apoio direto a um vasto conjunto de eventos, organizações e agentes desportivos, onde figura como exemplo as Bolsas de Educação Jogos Santa Casa a atletas integrados no Programa de Preparação Olímpica.

A Santa Casa da Misericórdia de Lisboa tem, ao longo de décadas, assumido um papel incontornável e insubstituível no desenvolvimento do desporto em Portugal, de relevante prestígio e superior interesse público.

 

Medalhados de Buenos Aires distinguidos

O COP distinguiu na Celebração Olímpica os medalhados nos Jogos Olímpicos da Juventude Buenos Aires 2018. A seleção feminina de Futsal (medalha de ouro), a seleção masculina de Andebol de praia (medalha de prata), Alexandre Montez, do Triatlo (medalha de prata na prova individual e medalha de ouro na estafeta mista), e o par misto de Ginástica acrobática, Madalena Cavilhas-Manuel Candeias (medalha de prata na prova multidisciplinar) receberam a moeda de Carlos Lopes, da Coleção Ídolos do Desporto, da Imprensa Nacional-Casa da Moeda.

 

Reconhecimento das escolas

O COP reconheceu igualmente cinco das escolas que mais se distinguiram no âmbito do seu Programa de Educação Olímpica, com a atribuição de diplomas. Escola Básica e Secundária Fernando do Pó (Bombarral), Escola Secundária Henriques Nogueira (Torres Vedras), Colégio do Castanheiro (Ponta Delgada), Agrupamento de Escolas Rio Novo do Príncipe (Cácia) e Escola Básica da Regedoura (Ovar) foram os estabelecimentos de ensino que subiram ao palco do SUD Lisboa.

 

 

Patrocinadores/Parceiros Nacionais