O Comité Olímpico de Portugal decidiu nomear Pedro Farromba como o Chefe da Missão Portuguesa aos Jogos Olímpicos de inverno Sochi 2014. Aos 39 anos, o Presidente da Federação de Desporto de Inverno de Portugal (FDI), desde 2009, assume-se como o responsável máximo da representação portuguesa aos Jogos, que será composta por dois atletas: Camille Dias e Arthur Hanse. A escolha do COP teve por base o conhecimento técnico de Pedro Farromba, bem como o facto de a FDI-Portugal ser a única federação que inscreve atletas para a edição de inverno dos Jogos Olímpicos. O Chefe de Missão é natural da Covilhã, onde já foi vice-presidente da Câmara Municipal, entre 2012 e 2013, tendo antes sido vereador da edilidade. Atualmente, é Diretor Executivo do Parque de Ciência e Tecnologia da Covilhã, S.A. Para Pedro Farromba, este é um momento único na sua carreira de dirigente desportivo. “É uma honra e um enorme orgulho poder representar o nosso país nos Jogos Olímpicos de inverno. Sendo este o principal evento mundial dos desportos de neve constitui também uma grande responsabilidade poder ter atletas portugueses a competir ao mais alto nível. Para mim, pessoalmente, é o culminar de cinco anos de trabalho à frente da FDI-Portugal e penso mesmo que será daqueles momentos únicos que vivemos nas nossas vidas. Mas esta Missão Olímpica só é possível porque, nos últimos cinco anos, a Federação foi gerida por uma equipa de pessoas capazes e competentes que tudo deram pelo desenvolvimento da prática dos desportos de inverno em Portugal”. Quanto a objetivos, Pedro Farromba prefere não levantar expectativas. “A participação em si é já uma vitória, pois ter dois atletas em simultâneo na modalidade rainha dos Jogos Olímpicos constitui um feito nunca antes alcançado pelo nosso País. No entanto, vejo esta Missão como um enorme alento para o aumento da visibilidade dos Desportos de inverno em Portugal e para o incremento do seu desenvolvimento. Sendo as disciplinas onde os nossos atletas vão participar das mais competitivas a nível mundial, onde proliferam excelentes atletas oriundos de países com muita tradição nestas modalidades, a nossa participação deverá ser pautada pela excelência do nível competitivo e pelo ganho de experiência que pretendemos alcançar. Em termos de resultados mensuráveis, gostava muito que pudéssemos ficar no primeiro terço da tabela”. Portugal estará representado na edição de inverno dos Jogos Olímpicos pela terceira vez consecutiva, naquela que será a sétima participação nacional. Depois das participações de Danny Silva em Turim 2006 e Vancouver 2010, na prova de Esquí de fundo, será a vez de Arthur Hanse e Camille Dias, dois jovens luso-descendentes, que se irão estrear nos Jogos. Ambos irão participar na considerada por muitos, prova rainha dos Jogos de inverno, o Slalom. Por inerência à sua qualificação esta prova, irão também competir em Slalom Gigante. Para Portugal, será a primeira vez que terá dois atletas, na prova masculina e feminina, de Slalom. O melhor resultado de sempre foi alcançado em 1998, em Nagano, no Japão, por Mafalda Queiroz Pereira, que ficou em 21º lugar na prova de esquí acrobático.

Patrocinadores/Parceiros Nacionais