A Comissão de Atletas Olímpicos (CAO), no seu atual figurino, comemorou 18 anos no dia 26 de março de 2020.

Os primeiros passos para a criação da CAO em Portugal foram dados em 2001, como resultado das recomendações do Comité Olímpico Internacional (COI) aos vários Comités Olímpicos Nacionais.

O Comité Olímpico de Portugal (COP), presidido então pelo Comandante José Vicente Moura, seguiu a recomendação do COI no sentido de estimular os atletas a organizarem-se, de modo a que as estruturas olímpicas tivessem um órgão representativo dos atletas.

Foram realizadas as primeiras eleições para constituir a Comissão de Atletas, tendo a primeira Comissão Diretiva sido composta por:

Presidente: Susana Feitor
Vice-presidente: Nuno Fernandes
Vogais:
João Carlos Costa
Gustavo Lima
Nuno Delgado
Domingos Castro
Nuno Laurentino
Nuno Barreto
Diogo Cayolla
Aníbal Fernandes
Afonso Domingos

Desde a sua génese, ficou instituído que a CAO seria uma entidade integrada no COP, com estatutos específicos e uma estrutura com orgânica própria, gozando de autonomia na prossecução das atribuições que lhe são reservadas e de apoio financeiro do COP para as suas atividades. Ficou ainda estabelecido que a CAO seria composta por dez elementos, todos atletas olímpicos em atividade.

Numa primeira fase foi constituída como comissão consultiva do COP, mas rapidamente se posicionou como entidade integrada, tendo como atribuições: a análise das circunstâncias que envolvem e condicionam o treino e a competição dos atletas olímpicos, ou no percurso olímpico; a apresentação de propostas para a sua melhoria às Federações das modalidades e ao COP; a participação na formulação das regras de funcionamento dos Centros de Preparação Olímpicos e do Regulamento de Participação nos Jogos Olímpicos.

A CAO sempre assumiu uma posição que não se limitava a analisar a realidade dos atletas e fazer uma crítica, mas a complementar a sua análise com a apresentação de soluções e alternativas. Foi com este intuito que, nos primeiros meses de existência da CAO, foi elaborado um documento com as várias preocupações dos atletas. Este documento intitulado “Preocupações e Sugestões de Ordem Social e Fiscal” seria um guião de medidas que os atletas gostariam de ver resolvidas. Foram abordadas medidas como: criação de um Gabinete de Apoio de Alto Rendimento; compatibilização da prática de Alto Rendimento Desportivo com a vida académica; regime de Segurança Social dos atletas; apoio médico e seguro específico do Atleta de Alto Rendimento; reintegração social dos Atletas de Alto Rendimento Desportivo; tributação fiscal; alteração da Lei do Mecenato; resolução de contenciosos – criação dum Tribunal Arbitral do Desporto; e criação de escalões oficiais na Alta Competição, entre outros.

 

SUSANA FEITOR

“Era necessário que os atletas estivessem organizados e se fizessem representar por quem confiassem, daí as eleições. Portanto, seriam os seus pares a fazerem valer os argumentos dos atletas nos órgãos de decisão onde, na verdade, as discussões aconteciam sem um ponto de vista do praticante. Mas desde o início que percebi que teria de ser de um modo forte, coerente, com respeito, no sentido de contribuir para a solução e não no sentido de discutir “porque sim”, mesmo quando teríamos razão para discutir, devíamos ser proativos e ajudar a construir melhores condições para todos. A nossa postura foi sempre a de fazer parte da solução, levar sempre os argumentos bem fundamentados, se possível com exemplos claros e com propostas exequíveis. Foi um mandato de “partir muita pedra”, contruir tudo de raiz, organizar e estruturar a CAO, conquistar e dar credibilidade a esta. Sem olhar bem a quem fazia o quê entre os 11 elementos, sempre tivemos e vamos continuar a ter uns a dar mais que outros, pois isto é completamente benévolo, pois pede muito tempo e empenho. Mas creio que conseguimos bem o nosso objetivo inicial de afirmação e contribuição para melhorar o apoio aos atletas.”

 

Em março de 2005, após a realização de novo ato eleitoral, foram eleitos para a Comissão de Atletas do Comité Olímpico de Portugal os seguintes atletas:

Presidente: Nuno Fernandes
Vice-presidente: Susana Feitor
Vogais:
Álvaro Marinho
Nuno Barreto
Gustavo Lima
Nuno Laurentino (no decorrer do mandato apresentou renúncia de funções, por motivos profissionais, e foi substituído por Joana Pratas)
Diogo Cayolla
Nuno Merino
Joana Pratas
João André Silva
Nuno Pombo

O segundo mandato, presidido pelo atleta Nuno Fernandes (Atletismo), focou a sua atuação na criação de melhores condições de treino e preparação para os atletas, a compatibilização da carreira desportiva com os estudos, bem como em questões como a isenção de tributação das bolsas de apoio; regime da Segurança Social; nova legislação contemplando os atletas que terminam a carreira. Os atletas viram assim alguns destes temas resolvidos, em parte devido à atividade da CAO junto dos responsáveis do desporto em Portugal.

Foi dado um acompanhamento próximo às entidades do sistema desportivo nacional na criação e implementação do Projeto Olímpico.

É durante este mandato que é organizado o primeiro Encontro Nacional de Atletas Olímpicos e, dando seguimento ao lançamento internacional do programa, fruto de um estreitar de relações com as congéneres internacionais, é lançado em Portugal o Athlete Career Programme, sensibilizando e dando formação aos atletas para a preparação do seu pós-carreira desportiva.

Em reconhecimento do papel da CAO para a melhoria das condições dos atletas e do desporto em Portugal, a CAO passou a fazer-se representar na Comissão Executiva do COP e na respetiva Assembleia Plenária.

A CAO foi ainda convidada para prestar as suas posições no Congresso do Desporto, organizado pela Secretaria de Estado da Juventude e do Desporto, passando, posteriormente, a estar representada no Conselho Superior de Desporto (atual Conselho Nacional de Desporto).

 

NUNO FERNANDES

“Muito trabalho foi realizado nesses anos e, felizmente, a Comissão de Atletas ganhou progressivamente presença, representação, credibilidade, prestígio e, por último, voz, passando a ser uma entidade presente sempre que são debatidos assuntos relacionados com os atletas. Ainda hoje é dado seguimento ao trabalho inicial, continuando a atual direção a desenvolver e cimentar todos os anos a excelente atividade que vão desenrolando.”

 

Novas diretivas do COI conduziram a CAO a uma importante mudança: a Comissão de Atletas deixa de ser exclusivamente constituída por atletas olímpicos em atividade e passa a poder integrar atletas que ainda não tenham sido olímpicos e atletas em final de carreira.

Em abril de 2009 foi eleita a 3ª comissão diretiva da Comissão de Atletas Olímpicos, sendo composta por:

Presidente: Nuno Barreto
Vice-presidente: Paulo Bernardo
Secretário-geral: Simão Morgado
Vogais:
André Pereira
Bernardo Novo
Diana Gomes
Gustavo Lima
Joana Pratas;
Pedro Dias
Susana Feitor

A equipa liderada pelo medalhado olímpico Nuno Barreto lançou um projeto de promoção do desporto, do olimpismo e dos atletas olímpicos: a Semana Olímpica. Este evento visava proporcionar aos mais jovens, entre outras valências, oportunidades de experimentação de diversas modalidades e momentos de convívio com atletas olímpicos. Dando seguimento à importância dada à valorização social dos atletas, é igualmente lançado o projeto Olímpicos na Escola.

É durante este mandato que é criado o Gabinete de Apoio ao Atleta Olímpico (atual Gabinete do Atleta), criando uma maior proximidade e apoio aos atletas Olímpicos ou no Projeto Olímpico, tendo sido dada continuidade ao trabalho das direções anteriores.

 

NUNO BARRETO

“O meu envolvimento com a CAO é longo, desde a comissão instaladora até aos dias de hoje, enquanto representante da mesma no Conselho de Ética. As recordações que guardo são muito positivas, pois creio que tive o privilégio de trabalhar com atletas fantásticos e ao mesmo tempo ajudar a criar um sistema desportivo mais perto do atleta. Conseguimos, com o trabalho realizado, no meu mandato, consolidar a posição da CAO na estrutura desportiva nacional, criar o GAAO, que cada vez mais se tem mostrado uma peça fundamental na máquina da preparação olímpica e no apoio aos atletas Olímpicos e, com a Semana Olímpica ou o projeto Olímpicos na Escola mostrar que os atletas também se preocupam com o seu papel enquanto modelos para a sociedade em especial para as camadas mais jovens, entre outras conquistas.”

 

Em outubro de 2013, com o COP já sob a presidência de José Manuel Constantino, foi eleita a 4.ª Comissão Diretiva da CAO, composta por:

Presidente: João Neto
Vice-presidente: Joaquim Videira
Secretário-geral: Pedro Fraga
Vogais:
Beatriz Gomes
Gonçalo Carvalho
Joana Pratas
Mariana Lobato
Susana Feitor
Yahima Ramirez

Na tomada de posse foi assumido que esta Comissão Diretiva iria dar continuidade e terminar os projetos que tinham sido iniciados no mandato anterior, e manter um grande foco nas questões relacionadas com a compatibilização da carreira desportiva com a carreira académica ou profissional – carreiras duais -, tendo a CAO integrado o Grupo de Trabalho criado pela Secretaria de Estado da Juventude e Desporto, que culminou com a apresentação do relatório final, conclusões e recomendações sobre medidas a adotar para o apoio às Carreiras Duais dos Praticantes Desportivos.

Foi, desde cedo, estabelecido uma relação de trabalho e de grande cooperação entre a CAO e o COP. Segundo José Manuel Constantino, atual Presidente do COP,“a CAO tem sido um parceiro indispensável do COP na definição e construção das diferentes tomadas de decisão. O seu posicionamento ativo e responsável é um contributo que não dispensamos, sobretudo quando estão em causa decisões que envolvem os atletas. Parabéns pelo aniversário e grato a todos quantos ao longo dos anos serviram a CAO.”

Fruto do trabalho do GAAO, foi reforçada a ligação e o acompanhamento aos atletas olímpicos ou no processo de preparação olímpica. Este mandato ficou igualmente marcado por uma maior ligação a entidades internacionais, nomeadamente à Comissão de Atletas do Comité Olímpico Internacional.

 

JOÃO NETO

“Ter sido presidente da CAO foi para mim um enorme orgulho, mas também um desafio exigente e de grande responsabilidade. Durante o meu mandato e com a chegada do Presidente José Manuel Constantino à liderança do Comité Olímpico de Portugal, foi possível aproximar e aprofundar a relação dos atletas com a instituição, facto que nos orgulha a todos. Reforçamos a nossa presença institucional e pautámos a nossa intervenção por uma ação construtiva e de proximidade na salvaguarda dos direitos fundamentais de todos os que buscam através da excelência no desporto a realização pessoal. O ato eleitoral de 2017 ficou marcado por uma participação massiva, e é sem dúvida a expressão dos laços de proximidade criados aliados a uma vontade de intervir e de colaborar na melhoria das condições globais para os atletas Olímpicos Agradeço a todos os que colaboraram comigo, sem os quais não teria sido possível!”

 

Atualmente a CAO é composta pelos seguintes membros, eleitos em 2017:

Presidente: João Rodrigues
Vice-presidente: Susana Feitor
Secretário-geral: João Silva
Vogais:
David Rosa
Emanuel Silva
Jéssica Augusto
Joana Pratas (no decorrer do mandato apresentou renúncia de funções, tendo sido substituída por João Pereira)
Rui Bragança
Telma Santos

JOÃO RODRIGUES

“A CAO está de parabéns. Alcança agora a maioridade, sendo atualmente reconhecida como um parceiro do Movimento Olímpico nacional e internacional. Tal deve-se ao trabalho das anteriores Comissões, que pautaram o seu desempenho por um verdadeiro espírito de missão, de entrega, mas também de paixão. Paixão pelo que significa ser atleta Olímpico. A 5.ª Comissão Diretiva da CAO enaltece, assim, o percurso nem sempre fácil das anteriores Comissões, trabalhando atualmente para que possa estar à altura do legado que lhe foi deixado. Importa referir o excelente relacionamento institucional que foi criado no passado, fosse com os organismos governamentais, ou com o próprio COP, permitindo um diálogo franco e aberto entre todos, numa relação de confiança. Os desafios que se nos colocam atualmente, as respostas que são exigidas, fazem-nos crer que a CAO continuará a desempenhar o seu papel no seio do Movimento Olímpico. Dando voz aos atletas, procurando soluções para os problemas do dia-a-dia, sejam os de agora, ou os de amanhã. Porque uma vez Olímpico, para sempre Olímpico.”

Artigos Relacionados

Patrocinadores/Parceiros Nacionais