Marcos Freitas foi eliminado nos oitavos-de-final de Singulares do 52.º Campeonato do Mundo Individual e encerrou a participação portuguesa, naquela que foi a melhor prestação de sempre em Mundiais.

O jogador madeirense nunca desistiu e lutou sempre por todos os pontos, como ficou bem patente no 1.º set, em que esteve a perder por 0-8 e conseguiu recuperar para 6-9. Mas o chinês Xin Xu, atual número 1 do ranking mundial, voltou a mostrar toda a sua versatilidade e estilo de jogo muito forte. Num jogo entre dois esquerdinos, o 4.º set foi o mais equilibrado, tendo o olímpico português conseguido estar em vantagem no marcador. O resultado foi de 0-4, com os parciais de 7-11, 5-11, 5-11 e 7-11.

Marcos Freitas contou o jogo todo com o apoio do público que enchia por completo Paris- Bercy, gritava incessantemente pelo seu nome, e aplaudia entusiasmado todos os pontos que ganhava.

Nas 26 participações em Campeonatos do Mundo Individuais, Portugal tinha até Paris como melhor resultado em Singulares a disputa da ronda de 32 (Tiago Apolónia em Yokohama 2009), em Pares a presença na ronda de 16 (André Silva e Marcos Freitas em Yokohama 2009) e em Pares Mistos o apuramento para a ronda de 16 (Luís Choi e Emília Tong em Praga 1963).

Na capital francesa, a Seleção Nacional conseguiu chegar aos oitavos-de-final também em Pares Masculinos, através da dupla Tiago Apolónia / João Monteiro.

Marcos Freitas falou do encontro com Xin Xu e considera que “a partida de hoje foi muito difícil, nunca consegui contrariar o jogo dele, que foi sempre mais forte. É um jogador que não conhecia bem, sobretudo a forma de atacar, e os dois primeiros sets foram complicados. Cometi alguns erros não forçados e a este nível isso paga-se caro. Ele é o número 1 do Mundo e, juntamente com o Ma Long, é dos jogadores mais fortes do momento.”  

O olímpico português considera que o balanço do Mundial “é positivo, porque consegui ficar nos 16 primeiros do mundo, o que é sempre muito bom. Mas quando se chega aqui sabe sempre a pouco, porque queremos mais.”

Em relação ao futuro, o jogador madeirense revelou que “agora disputar o Super Series na China e no Japão e quero obter pontos para subir no ranking mundial. Depois vou tirar uns dias e férias e começar a preparar a nova época.”

O vice-presidente para as Seleções Nacionais, Tiago Viegas, considera que “o balanço é muito positivo – estão de parabéns atletas e treinadores. Proporcionaram a todos os amantes da modalidade grandes momentos de ténis de mesa e encheram de orgulho os Portugueses. Chegar aos oitavos de final na competição de singulares – Marcos Freitas – e de pares – João Monteiro e Tiago Apolónia – são grandes resultados. Realço que estes três atletas foram eliminados por atletas da principal potência mundial, China.”

O responsável federativo adiantou que “a próxima grande competição de seniores é o Campeonato da Europa, em outubro. Vamos trabalhar para reunir meios financeiros (sponsors) para que a estrutura de apoio aos atletas se aproxime das melhores seleções. Portugal tem alguns dos melhores jogadores do Mundo!”

Patrocinadores/Parceiros Nacionais