O Governo passou a conferir aos donativos para o desporto o mesmo tratamento fiscal que é dado aos da cultura.
O Comité Olímpico de Portugal (COP) já tinha solicitado que passasse a existir um reforço dos incentivos fiscais às empresas que façam donativos a associações promotoras do desporto e viu agora a sua proposta reconhecida.

A intenção concretiza-se através de uma proposta de alteração ao Estatuto dos Benefícios Fiscais, onde se prevê que os mecenas que façam donativos ao COP e a associações promotoras do desporto possam deduzi-los ao seu IRC por 130% ou 140% do valor, à semelhança do que já acontece com a cultura.

Esta foi a segunda proposta que o Comité Olímpico de Portugal conseguiu ver satisfeita, depois de, na proposta de Orçamento de Estado para 2018, o Governo ter incluído que os treinadores também passem a beneficiar da isenção de IRS pelas bolsas de formação que recebem, tal como já acontece com os atletas.

Patrocinadores/Parceiros Nacionais