O ex-internacional A português, Luís Figo, apresentou há momentos em Londres a sua candidatura a Presidente da FIFA, órgão máximo do futebol mundial. Num evento que decorreu no Estádio do Wembley, em Londres, Figo voltou a frisar que o futebol lhe deu muito e que lhe custa ver a degradação da imagem da FIFA, liderada há 17 anos pelo suíço Joseph Blatter, também candidato.

O ex-futebolista, o mais internacional de sempre na seleção portuguesa, com 127 presenças, mostrou algumas ideias do seu manifesto, referindo que, se for eleito, investirá no futebol e na distribuição de dinheiro às federações.

Nesse sentido, Figo defendeu que “50 por cento das receitas da FIFA – ou seja 2,5 mil milhões de dólares – devem ser distribuídos pelas federações nacionais” nos próximos quatro anos.

Por outro, o ex-jogador entende que 500 milhões de dólares são suficientes para assegurar os custos operacionais da FIFA, pelo que propõe que “mil milhões de dólares [do fundo de reserva] sejam devolvidos às federações”.

O antigo jogador referiu ainda que esse processo será “auditado”, de forma que o dinheiro tenha o destino certo, num investimento no futebol e na expetativa que a prática da modalidade, com jovens registados, aumente até 10 por cento.

“Se for feito da maneira certa o investimento aumentará as oportunidades no mundo inteiro, todo o financiamento será auditado para assegurar que o dinheiro é utilizado corretamente”, salientou o ex-jogador.

No seu manifesto Figo falou também em alterações às leis de jogo, nomeadamente na discussão do fora de jogo, e mostrou ser um defensor da tecnologia da linha de golo, que gostaria de ver implementada.

O antigo Bola de Ouro concorre à presidência da FIFA frente ao atual presidente, Joseph Blatter, ao príncipe jordano Ali bin Al Hussein, um dos vice-presidentes do organismo, e ao presidente da Federação Holandesa, Michael van Praag.

As eleições para a presidência do organismo que rege o futebol mundial realizam-se a 29 de maio, no segundo de dois dias do congresso da FIFA, em Zurique, na Suíça.

Patrocinadores/Parceiros Nacionais