Os Jogos Santa Casa atribuíram esta quarta-feira 46 Bolsas de Educação a atletas olímpicos e paralímpicos que conciliam a atividade académica com a carreira desportiva, numa cerimónia realizada no Pavilhão do Conhecimento, em Lisboa, que contou com as presenças do secretário de Estado da Juventude e do Desporto, João Paulo Rebelo; do provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa (SCML), Edmundo Martinho; do presidente do Comité Olímpico de Portugal (COP), José Manuel Constantino; e do presidente do Comité Paralímpico de Portugal, José Manuel Lourenço.

Os Jogos Santa Casa apoiam atletas-estudantes desde 2013 e contabilizam agora 216 bolsas concedidas, num valor superior a 600.000 euros. Edmundo Martinho, provedor da SCML, sublinhou “a capacidade que os atletas têm em superar-se, na compatibilização de carreiras” e reforçou que “o grande mérito da iniciativa não é da Santa Casa, mas dos atletas, das federações e dos comités”, palavras reafirmadas por João Paulo Rebelo, secretário de Estado da Juventude e Desporto: “Os atletas conseguiram afirmar a necessidade das carreiras duais, com o sacrifício de manter a atividade académica”, em simultâneo com os compromissos desportivos.

“É absolutamente essencial que cada um faça a sua parte e o Governo não rejeita a sua”, disse João Paulo Rebelo, reforçando o compromisso de encontrar boas soluções para que as necessidades de atletas e estudantes possam compatibilizar-se.

O presidente do COP, José Manuel Constantino, destacou o pioneirismo da iniciativa, devido “à Santa Casa da Misericórdia de Lisboa e em certa medida ao Comité Olímpico de Portugal”, partes que desenharam as Bolsas de Educação Jogos Santa Casa. “Trata-se de um estímulo e uma ajuda, para que uma carreira seja feita sem prejuízo da outra”, defendeu.

“Temos de reconhecer que ainda falta ao sistema desportivo dar o exemplo” que a sociedade civil e as instâncias públicas têm dado, “não sobrecarregando os calendários”, nas datas em que os atletas têm compromissos estudantis. “O sistema desportivo tem ainda um longo caminho a percorrer para ajudar a conciliar as duas carreiras”, disse José Manuel Constantino.

Com a assinatura “Vamos passar a chama aos campeões do Futuro”, as Bolsas de Educação Jogos Santa Casa são um programa de apoio às carreiras duais, que incentiva os atletas a conciliarem a carreira académica com a desportiva, de modo a evitar quer o abandono prematuro do desporto de alto rendimento, quer o abandono precoce dos estudos.

Este ano houve 70 candidaturas, tendo sido atribuídas 33 bolsas a atletas olímpicos ou que integram o Programa de Preparação Olímpica e 13 a atletas paralímpicos e surdo-olímpicos.

 

Patrocinadores/Parceiros Nacionais