João Silva começou hoje a sua campanha na World Triathlon Series (WTS) da melhor maneira, com uma medalha de bronze em Abu Dhabi. O português terminou os 1500 metros de natação, 40 quilómetros de ciclismo e 10 quilómetros de corrida em 1:47:08 h, apenas superado pelo sul-africano Richard Murray (1:46:54) e pelo vencedor da etapa, o espanhol Mario Mola, que parou o cronómetro em 1:46:39 h.

Os outros dois portugueses na Elite masculina, Miguel Arraiolos e João Pereira, terminaram, respectivamente, em 33º (1:49:27 h) e 35º (1:49:28 h).

Na Elite feminina, Melanie Santos foi 36ª (2:00:52 h) numa prova em que a britânica Jodie Stimpson foi a vencedora e que ficou marcada por uma aparatosa queda de várias atletas no final do segmento de ciclismo. Ashleigh Gentle, da Austrália, foi segunda e o bronze ficou nas mãos de Helen Jenkins.

Um resultado que mantém Melanie na corrida por uma estreia olímpica. Algo que a confirmar-se seria notável para uma triatleta de apenas 20 anos e que está a dar os primeiros passos entre a Elite mundial.

Na competição masculina, numa prova disputada em temperaturas a rondar os 30 graus centígrados, o segmento decisivo foi mesmo a corrida, já que os mais rápidos na natação (Aurelien Raphael, de França, Igor Polyanskiy, da Rússia, e o sul-africano Henri Schoeman) e no ciclismo (o italiano Alessandro Fabian) nunca conseguiram assegurar vantagens significativas relativamente à concorrência.

E na corrida, num percurso muito rápido, com o calor a apertar, João Silva rapidamente tomou a dianteira.

O espanhol, um dos melhores triatletas do Mundo, deu-se ao luxo de cumprir uma penalização de 15 segundos para, vindo de trás, recuperar a liderança e ainda dilatar a vantagem para o companheiro de treinos, Richard Murray. João Silva correspondeu heroicamente ao ritmo imposto pelo espanhol e carimbou o terceiro lugar.

“Estou muito contente com este resultado pois vim a esta prova sem saber muito bem em que ponto estava em termos do meu treino e da minha forma. Por isso, estou muito feliz e impressionado com a exibição do Mario Mola”, confessou João Silva.

João Silva regressa agora a Portugal onde vai preparar a participação na etapa do WTS de Cape Town, na África do Sul, dia 24 de Abril.

Miguel Arraiolos, candidato a uma terceira vaga nacional na prova de Elite masculina nos Jogos Olímpicos do Rio, conseguiu um 33º lugar, um pouco abaixo do seu alvo assumido, o “top 20”, e João Pereira, que tem o apuramento olímpico confortavelmente assegurado (era 7º no ranking de qualificação à partida para esta etapa) concluiu o percurso no 35º posto.

Para Miguel Arraiolos, este resultado deixa tudo na mesma, conforme nos explicou:

“Apesar de esperar melhores sensações a correr, consegui melhorar o meu pior resultado por pouco; de resto, os meus adversários diretos fizeram todos pior que eu, por isso as minhas ambições não saem minimamente beliscadas.”

Já João Pereira desvalorizou o resultado desta prova que definiu como “o primeiro tiro”:

“Não vem alterar em nada os meus planos. É apenas o primeiro tiro de muitos. É normal não me encontrar na primeira prova do ano, além de que me dei mal com o calor e havia muita gente já com outro ritmo de competição.”

O triatleta das Caldas da Rainha confessou mesmo que estava algo receoso de uma mazela à partida para esta etapa. Receios que se revelaram infundados:

“Estava com um pouco de medo de um pequeno toque que tenho no Aquiles, mas nem me doeu. Só posso estar contente. Para a semana é atacar de novo e, até lá, descansar e recuperar.”

O próximo compromisso competitivo dos portugueses será a etapa da Taça do Mundo de Mooloolaba, na Australia, dia 12 de Março.

 

TEXTO: Federação Portuguesa de Triatlo

Patrocinadores/Parceiros Nacionais