O Comité Olímpico de Portugal (COP) esteve este sábado presente no 16.º Congresso Científico de Treinadores de Andebol, na Universidade Lusófona, em Lisboa, para promover mais uma sessão de integridade sobre os instrumentos de combate à manipulação de competições desportivas junto dos cerca de 200 treinadores inscritos no EHF Masters Coach and Licensing Course.

A sessão conduzida pelo diretor-geral do COP, João Paulo Almeida, contou com o apoio da gestora do programa de Integridade, Joana Gonçalves, e resulta de uma estratégia de intensificação do programa de prevenção e educação de agentes desportivos (atletas, árbitros, juízes, treinadores e dirigentes das diversas modalidades).

Passos importantes têm vindo a ser dados em Portugal, com o imprescindível apoio de organizações internacionais como o Comité Olímpico Internacional e a INTERPOL, nomeadamente no que respeita à estreita cooperação com os órgãos de polícia criminal e organismos disciplinares das federações desportivas. E é com uma mensagem cada vez mais robusta que o COP se apresenta junto dos seus membros com o objetivo de, por um lado, alertar para o perigo que esta ameaça representa para o desporto e seus atores e, por outro, dotar os seus agentes de mecanismos práticos de prevenção, combate e denúncia.

Seguem-se ações de formação com as seleções nacionais masculinas e femininas sub-15 e sub-18 de Ténis de Mesa, no dia 27 de junho, no Centro de Alto Rendimento, em Gaia.

Patrocinadores/Parceiros Nacionais