O Comité Olímpico de Portugal comemorou no dia 17 de Novembro o seu 102º Aniversário, numa cerimónia realizada na sua sede e que serviu também para entregar os Prémios e Galardões COP 2011 e homenagear os quatro Campeões Olímpicos Portugueses.

Marcaram presença na sessão comemorativa o Ministro Adjunto e dos Assuntos Parlamentares, Miguel Relvas, o secretário de Estado do Desporto e Juventude, Alexandre Mestre, o Presidente do Instituto Português do Desporto e Juventude, Augusto Baganha, a Embaixadora do Reino Unido, Jill Gallard, a Presidente da câmara Municipal de Rio Maior, Isaura Morais e o Secretário Geral da Associação Nacional de Municípios Portugueses, Artur Trindade, entre outras individualidades.

Cumprindo a tradição um dos momentos altos da noite foi a entrega dos Prémios e Galardões COP 2011, que se destinam a reconhecer o mérito das pessoas singulares ou colectivas que a Comissão Executiva do COP, após submissão pelas diversas Federações Nacionais, delibere de acordo com as regras específicas para cada um.

Foram vários os premiados, com destaque para João Pina, premiado com a “Medalha Olímpica”, António Aleixo, galardoado com o prémio “Carreira Desportiva”, e Professor Alípio Oliveira, galardoado com a “Ordem Olímpica”. Foi também homenageado o Professor Luís Santos, nome referência do Andebol em Portugal e um dos três distinguidos com o Prémio Laurel 2011, galardão atribuído pelos Comités Olímpicos Europeus, e este sob proposta do COP.

O Prémio Troféu Olímpico, atribuído este ano a título excepcional, foi entregue à Faculdade de Desporto da universidade do Porto, que esteve representada pelo Presidente do Conselho Pedagógico, Rui Garcia.

Veja aqui a lista de Premiados e Galardoados.

Também como vem sendo usual, o Comité distinguiu neste aniversário alguns dos seus colaboradores pelos anos de dedicação.

Após a entrega dos Prémios e Galardões COP seguiu-se outro ponto alto da noite, a homenagem aos quatro Campeões Olímpicos Portugueses com a inauguração do mural “Fama Olímpica” onde figuram os Medalhados de Ouro portugueses, Carlos Lopes, Rosa Mora, Fernanda Ribeiro e Nélson Évora mas que no futuro integrará todos os outros Medalhados, quer os de Prata quer os de Bronze. Na cerimónia foram igualmente homenageados os respectivos treinadores dos referidos atletas, nomeadamente Moniz Pereira, José pedrosa, João Campos e João Ganço.

Carlos Lopes: «No fundo fomos os quatro pioneiros e curiosamente na mesma modalidade. É pena serem só quatro, mas sei que é cada vez mais difícil vencer. Nós tivemos muita força, muito trabalho e muita coragem. Foi um sentimento de dever cumprido, porque em 1976 fui vencido mas não convencido.»

Rosa Mota: «Modéstia à parte, conquistar um ouro olímpico é o momento mais alto da carreira de um atleta e são poucos os que conseguem. É muito gratificante recordar aquele momento, no qual tive todos os portugueses a meu lado. Sempre fiz o que gostava. Treinei-me sempre para vencer e consegui.»

Fernanda Ribeiro: «Gosto de atletismo como quando comecei. Tinha um sonho que era ser campeã olímpica. Concretizei-o, foi difícil, mas nunca me custou. Sei o que é ser campeã da Europa, do Mundo, Olímpica e bater recordes. Naquele dia chorei, ri? estava longe e só queria estar com quem me era mais próximo.»

Nélson Évora: «Para mim o maior de todos os reconhecimentos é o carinho do povo. É uma das minhas maiores conquistas. Quero evoluir para trazer cada vez mais medalhas para o País. É um momento único reunir os quatro medalhados de ouro. É muito raro acontecer e é histórico para Portugal.»

Na cerimónia foram também assinados três protocolos com novos patrocinadores do Comité Olímpico de Portugal, nomeadamente Modelo Continente Hipermercados, EDP e Procter & Gamble.

No seu discurso o Presidente do COP, Comandante Vicente Moura, agradeceu a presença de todos os presentes, fez o balanço do ano que termina e falou sobre as perspectivas para 2012, afirmando também que «Nunca, como até, hoje, Portugal desfrutou de tão altos patamares de desenvolvimento social e económico e teve acesso a tantos e tão importantes avanços tecnológicos. Só nos libertaremos dos actuais condicionalismos se banirmos os egoísmos individuais e regressarmos à defesa de Causas e Valores.»

Por seu turno e na intervenção que proferiu a encerar a cerimónia, o Ministro Adjunto e dos Assuntos Parlamentares reiterou a convergência do Governo com o Comité olímpico em matérias estruturais:

«Para além das questões directamente ligadas com o projecto “Londres 2012”, há outras matérias a ponderar nas relações entre o Governo e o Comité Olímpico de Portugal.

Refiro-me, por exemplo, à implementação de um Plano Nacional para a Ética no Desporto, previsto no Programa do Governo, em que o Comité Olímpico de Portugal é, por natureza, um dos parceiros vitais para a sua plena prossecução.

No âmbito da institucionalização de um “Tribunal Arbitral do Desporto”, igualmente consagrada no nosso Programa, foi ouvida a Comissão que, pelo Comité Olímpico de Portugal, apresentou uma proposta, a par de outras, que será considerada na decisão a tomar e que nos foram entregues no quadro da matriz definida pelo Governo para a justiça desportiva.

O Governo anunciou o propósito de instalar definitivamente o Museu Nacional do Desporto onde funcionarão a Biblioteca Nacional do Desporto e um Centro de Investigação na área do Desporto.

E a hipótese levantada da edificação de um Museu Olímpico convida a que se potenciem sinergias neste sector da preservação da memória no desporto».

Miguel Relvas expressou igualmente o seu reconhecimento e a admiração pelos quatro atletas homenageados, afirmando que já pertencem por direito próprio à história das participações Olímpicas portuguesas.

Tal como em todos os eventos do Comité Olímpico de Portugal a cerimónia iniciou-se com o Hino Olímpico e finalizou com o Hino Nacional.

Patrocinadores/Parceiros Nacionais