A equipa de Ténis de Mesa masculina portuguesa entrou a ganhar nos Jogos Europeus Baku 2015, ao bater a Roménia por 3-1, apurando-se assim para os quartos-de-final da prova de equipas.

A Seleção lusa, campeã europeia por equipas em setembro último, título conquistado na Meo Arena em Lisboa, começou a ganhar com o n.º 1 nacional e 10 do mundo, Marcos Freitas a impor-se ao romeno Adrian Crisan por 3-2. Um jogo disputado até ao último ponto que terminou com os parciais 12-10, 8-11, 11-7, 8-11 e 12-10, tendo mesmo o romeno disposto de um match point que o mesatenista madeirense contrariou, somando três pontos consecutivos que deixam Portugal na frente deste confronto por 1-0.

Seguiu-se o confronto entre o Tiago Apolónia e o romeno Constantin Cioti, que este último venceria por 3-2, apesar de entrada forte do português que venceu os dois primeiros sets. A partida terminou com os parciais de 11-2, 11-5, 5-11, 5-11 e 9-11, o que deixava a eliminatória empatada.

A derrota não afetou os campeões da Europa, que voltaram a colocar-se em vantagem no encontro seguinte. Na partida de pares a dupla João Geraldo/Tiago Apolónia impôs-se por 3-1 aos romenos Andrei Filimon e Constantin Cioti, com os parciais de 11-6, 12-14, 11-8 e 11-5. Portugal ficava a uma vitória do apuramento para a fase seguinte, recaindo no jovem João Geraldo, que entrou este mês, pela primeira vez, no Top-100 do Ranking da ITTF, e que está em Baku em substituição de última hora de João Monteiro, que falha esta competição por lesão, a responsabilidade de evitar a negra.

A verdade é que João Geraldo não tremeu e foi inclusivamente aquele que conseguiu a vitória mais categórica desta eliminatória. O mesatenista luso venceu por 3-0 Adrian Crisan, que tinha imposto sérias dificuldades no jogo inaugural frente a Marcos Freitas.

“Sabíamos que ia ser difícil. A Roménia é uma boa equipa. Por isso está aqui, em prova com apenas 16 equipas, as melhores da Europa”, explicou Marcos Freitas, após triunfo por 3-1.

Contra a Polónia vai ser “mais complicado”, mas Marcos Freitas entende que “às vezes é preciso sofrer”, recordando o último encontro entre ambos, com vitória lusa por 3-1 nos Mundiais de Tóquio, em 2014.

“Eles também querem chegar às meias-finais e às medalhas. Devemos estar ao melhor nível, na máxima força. Descansar e pensar no jogo”, concluiu.

Já João Geraldo, o atleta que decidiu a eliminatória, revelou no final o seu contentamento. “Senti-me bem pelo jogo de pares. E senti que o outro jogador estava mais retraído, mais pressionado por estar a perder 2-1 e por jogar contra um jogador mais novo e qualidade menor. A equipa ganhou e isso é o mais importante. Entrei no ‘top 100’ Mundial e estou no melhor momento da minha carreira”, concluiu.

A seleção lusa vai amanhã defrontar a Polónia que hoje bateu sem dificuldades a seleção da casa, o Azerbaijão, por claros 3-0. O confronto está marcado para as 5h30 de Portugal Continental. Quem vencer este encontro enfrentará nas meias-finais o vencedor do confronto entre Áustria e Rússia.

 

CRÉDITOS FOTOS: COP/IMAPRESS

 

Artigos Relacionados

Morrer na praia
27.06.2015
Lisboa2Baku
10.04.2015
Ténis de Mesa
1.02.2014

Patrocinadores/Parceiros Nacionais